A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


05/10/2016 10:12

Fiasco de comunicadores mostra que a urna pune

Reinaldo Rosa

SEM SINTONIAS – Emissoras de rádios e TVs regionais, aos poucos, deixam de ser instrumentos de campanha eleitoral para alguns profissionais da área. Alugar espaços em rádios AM foi viável para detentores de mandatos sem, no entanto, garantir-lhes reeleição.

NA MESMA - Oito candidatos originários das ondas do rádio e TV foram reprovados nas urnas domingo. Vereador Derly dos Santos, o Cazuza (2709 votos), e Lucas de Lima (4256) foram eleitos sem que isso signifique acenos de melhorias para a classe do dial; e que sempre teve representante no legislativo da capital morena.

NON R.V.S.P. – A extensa lista de VIPs do colunista Dácio Correa não foi suficiente para levá-lo a estrear no legislativo da Capital. Para sua próxima festa – sem suntuosidade – terá o nome de apenas 122 fiéis convidados.

TOCA TOCA TOCA – O Ibope do programa sertanejo que comanda no SBT/MS não foi o mesmo nas urnas para Vanderlei Cabeludo. Dentre os 1554 votos que recebeu estavam eleitores que separam a ribalta dos corredores do legislativo de Campo Grande. Foi tocado.

FOI CORINGA – Locar horário na Difusora AM – com programação para determinado segmento de ouvintes – tornou-se inútil para o vereador Ademar Vieira Junior, o Coringa (PSD). Amargando o registro de 2.521 votos, o parlamentar sairá do ar em dezembro deste ano. A partir de agora, apenas rádio comunitária.

2018 O RETORNO – Pedrinho Spina (2231 votos), Magali Picarelli (2060), Edson Godoy (1166), Wilson de Aquino (156) e Miltinho Vianna completam o time de profissionais da comunicação cortados da seleção dos eleitores. Insistentes, prometem voltar à cena dentro de dois anos. Brasileiro não desiste nunca.

LEVOU CHOCOLATE – Gracinhas do vereador Waldecy Batista Nunes, o Chocolate (PTB), nos corredores da Câmara de Campo Grande não tiveram o mesmo efeito da época de coadjuvante de Maurício Picarelli, no SBT/MS. 298 votos neste domingo expressam o que foi sua efêmera vida parlamentar.

FAIXA DOURADA – Em Dourados, a Câmara Municipal também fechou as portas para os radialistas Marcelo Mourão, Nelson Sudário, Lia Nogueira e Keliana Fernandes. Ficaram na faixa de 900 a 1200 votos, em completa dissintonia com seus eleitores/ouvintes. Urna pune.

CONSTANTE – O ano todo no ar (todos os 365 dias); deputado federal em dois mandatos; mais dois como suplente, fizeram o radialista Marçal Filho (PSDB) o vereador mais votado na cidade. Com todo histórico parlamentar e apoio de sua emissora de rádio, quatro mil votos ficaram abaixo das expectativas do candidato.

O adeus a um dos pioneiros da televisão em MS
AUSÊNCIAS – Na semana passada, Gilberto Carvalho Vargas, o Gibão, morreu em consequência de pneumonia e falência renal. Passou pela rede Globo, de on...
Quadro 'preso' dá oportunidade a falas oportunistas na tevê
FALANDO AO ELEITOR – No prende-e-solta da cadeia quadro polêmico de artista plástica mineira, surgem os oportunistas de plantão. O apresentador Maurí...
Entrevista na rádio ganha tom de pregação
TANGENTES – Entrevistas, realmente, não mantém expectativas de interesse do ouvintes do rádio jornalismo. Fala do deputado Rinaldo Modesto, no 'Tribu...
Celular vira 'muleta' para apresentadores da televisão
PRAGA – Telefone celular é fato que veio pra ficar –e deseducar-. Jornalismo falado e televisivo usam e abusam do aparelhinho para encher a linguiça ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions