A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


13/01/2016 11:46

Finalidades da comunicação de interesse público

Reinaldo Rosa
Xuxa na Record: problemas com a audiência? (Foto: Reprodução)Xuxa na Record: problemas com a audiência? (Foto: Reprodução)

QUEM QUER DINHEIRO – A comunicação falada e televisada serve aos mais desencontrados interesses de alguns privilegiados. Misto de radialista e eterno candidato a algum cargo eletivo, Marçal Filho oferece dinheiro para (in)felizardos premiado em seu programa de rádio, na Grande Dourados. Poucos votos, meu pirão primeiro.

CAMUFLAGEM – No particular horário político fora de hora, o apresentador jura que o disputado dinheiro “é uma gentileza” de patrocinador do programa. Ao que parece, em Dourados, comerciante de pequeno porte não tem do que reclamar. Crise? Que crise?

TÁ NA CARA – No site da ’94 FM Dourados’ a editoria é feita especialmente para alienados e (e) leitores sem noção. Dez notícias estampadas na primeira página têm o título ‘polícia’. Desgraças periféricas de Dourados; Grande Dourados; Brasil e do mundo, têm especial destaque. Em tempo: são repercutidas no programa do ‘voz de veludo’, como diria um blogueiro local.

ALÔ VOCÊ – Abrindo o programa com cinco minutos de mensagem bíblica seguida de músicas sertanejas, o apresentador já indica a que segmento de ouvintes a atração se destina. Aumente o som que o inebriante Marçal Filho chegou.

DAQUI PRALI – Em Campo Grande, o deputado – e também eterno candidato a algo - Maurício Picarelli faz o mesmo. Há tempos. Editoria de notícias policialescas e tragédias familiares tem público certo. E fieis eleitores.

NOTA DENTRO – Jornalismo da TV Morena atende aos reais interesses do telespectador. Reportagens mostrando condições e precariedades de estradas estaduais são bem-vindas em qualquer tempo; com ou sem chuvas.

FAÇA QUE REFAÇO – Nas imagens ficam claras intenções de empresários apreciadores da economia burra. Casquinha de asfalto sobre terra não tem vida longa. Programados reparos não faz mal a nenhum empreiteiro; é pedra sob pedra. Simples assim.

ATACAREJO OUT – Retransmissoras de Campo Grande, que têm apenas um informativo, ficam em posição privilegiada. Determinadas matérias não precisam ser reprisadas em outros horários da grade jornalística. Lei do menor esforço.

NÃO TÁ NA HORA - 345 mil telespectadores em um universo de mais de 20 milhões (em São Paulo) assistiram ao ‘Programa da Xuxa’, na rede Record, nesta segunda-feira. Desde a estreia, em agosto de 2015, com cenário colado ao estilo de Hebe Camargo e joguinhos calcados em Silvio Santos de outrora, a atração da rainha tinha tudo para dar errado. E está dando.

VC NA COLUNA – “Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de amadurecimento”. CDA/BYYC

TVE com nova programação este mês
VEM AÍ - Após conclusão do processo de digitalização, a TVE Cultura anuncia dia 24 de agosto a nova programação. Os trabalhos foram detalhados nesta ...
Sem adesão ao digital, sinal analógico permanece
ÚLTIMA HORA – Não deu outra; foi ampliado prazo para desligamento do sinal analógico para Campo Grande e Terenos. Cidade Morena não atingiu índice ne...
Jornalista de MS se destaca em debate
DA MORENA PARA O MUNDO – Carmen Cestari, na Band/SP, puxou a fila de jornalistas locais a trilharem o cenário nacional. Foi seguida por Ogg Ibrain (R...
Delcídio de volta à mídia local
QUEM NÃO APARECE – Abandonando período de ostracismo voluntário, ex-senador Delcídio do Amaral voltou aos estúdios de rádios e retransmissoras de TVs...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions