A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 22 de Junho de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


18/07/2016 10:54

Jornalistas e radialistas se viram em época de campanha

Reinaldo Rosa

WHATS NEW – Jornalistas radiofônicos se valem de interação com o ouvinte via mensagens pelo celular. Em informativos televisivos regionais, temos o contágio de tomadas sobre mensagens e opiniões de telespectadores. Formas diferentes da mesmice.

FORMA E CONTEÚDO – Foi bem recebida a operação plástica promovida no ‘Bom Dia MS’, da TV Morena. Espera-se, agora, a mudança do principal.

RÁDIO DOURADO – A jornalista pré-candidata a vereadora Lia Nogueira prometeu, em Dourados, que, se eleita, levará “uma vassoura para o plenário do Legislativo”, onde pretende ter “postura independente”. Vale lembrar que ela foi considerada a profissional mais fanática do falecido prefeito Ari Artuzi. Como ‘prêmio’, foi guindada em sua assessoria como braço direito do delator Eleandro Passaia. Memória curta no ar.

E OS OUTROS? – Vereador Airton Saraiva reclamava da atuação do prefeito Alcides Bernal e o também vereador Cazuza, que comandavam programa na rádio Cidade FM. Prometeu analisar a legalidade do expediente e tudo continuou na mesma.

LA TAMBÉM – “A maioria dos empresários de rádio transformou a concessão em casas de aluguel ou templos eletrônicos em grande parte dos casos, e já atinge há algum tempo as principais capitais. E este é um problema político, ninguém se interessa em mexer por causa dos votos que podem representar. As bancadas religiosas crescem a cada eleição. Estamos diante de uma questão que dificilmente nossas autoridades terão coragem ou disposição de enfrentar. Pobre rádio”. Flávio Ricco sobre emissoras de São Paulo.

SE A ELEIÇÃO FOSSE HOJE – Pesquisa sem fins científicos – a partir de manifestações neste espaço – fornece dado interessante a proprietários de emissoras e rádio, na Capital. É grande a vantagem dos que imploram por franquia de emissora de rádio de outros centros do país. O argumento é de que só assim poderia haver algo diferente no ar. “Abaixo a mesmice”, alegam os votantes favoráveis.

A ERA DO RÁDIO – “A primeira rádio instalada em Campo Grande passou a operar em 1939, mas 15 anos antes, em 1924, diversos moradores da cidade já escutavam programas de rádio por meio de um aparelho que veio dos Estados Unidos”. Parte inicial de texto do arquiteto e urbanista Ângelo Marcos Arruda para lembrar Gabura – o eterno presidente do Rádio Clube – integrante daquela turma de ouvintes e que narrava tais fatos aos interessados na história do surgimento da agremiação social da capital.

EM MS – O jornalista Eliakim Araújo, aos 75 anos, lutava contra um câncer no pâncreas e faleceu em um hospital de Fort Lauderdale, nos Estados Unidos. Profissional responsável que era, interpretou um mesmo texto em cinco formas de entonações para um VT do governo Wilson Barbosa Martins.

Grupo Acaba vive, mesmo fora da mídia
ESTAMOS JUNTOS – Mesmo ausente da grade musical da maioria de emissoras de rádios e retransmissoras de TVs locais, o Grupo Acaba vive –e sobrevive-. ...
Música regional de MS é atração rara nas emissoras locais
ESTRELAS FAZEM SINAL – Paulo Simões, Geraldo Roca, autores da música 'Trem do Pantanal', considerada hino não oficial de MS, não têm o destaque merec...
Só um 'não' ao ouvinte pode tirar rádio da mesmice
LINHA FECHADA – Quando é preciso dizer ‘não’. Difusora AM também abre espaço para atendimento de pedidos musicais dos ouvintes. Perigo à vista; maior...
Rádio muda pouco na mudança da faixa AM para FM
NADA DE NOVO – Bolo gigante recheado de alianças na festa do dia de Santo Antonio, nesta terça-feira foi, de novo, notícia na TV Morena. E, novamente...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions