ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  05    CAMPO GRANDE 21º

De olho na TV

TVE abre espaço para produção independente

Por Reinaldo Rosa | 22/01/2016 12:15

INVADINDO A PRAIA – A boa articulação nos meios da mídia local, resulta na ampla rede de transmissão do programa ‘Festas e Eventos’, do empresário José Marques. Presente na programação da TV Guanandi, o moço estende tentáculos em sites, jornais, canal de TV da Web e, até (frise-se) na TV Educativa do governo do Estado.

MISTUREBA – A profusão de exibição da atração demonstra total falta de compromisso com qualquer ideologia programática dos canais que lhe abrem espaço. Veiculando festas e confraternizações de empresas e órgãos públicos é indisfarçável a finalidade comercial contida nas intenções do que vai ao ar. Livre iniciativa é –e serve para- isso.

ALVO – O exótico comportamento de políticos e legisladores dos poderes constituídos exerce grande fascínio sobre o público e faz a alegria de editores do jornalismo nacional. Na TV Guanandi, em Campo Grande, esse tipo de atrativo para a audiência é esnobado com toda pompa e circunstância.

BOM SENSO – Sendo atração dirigida a público específico –receptivo a informações inebriantes- o ‘Festas’ poderia ser exibido após o ‘Canal Livre’, da Band. A atual ordem da grade da emissora, aos domingos, priva o telespectador de importantes debates que mexem com o cotidiano de todos os brasileiros. Seria o dízimo da emissora à audiência.

UM DOS LADOS – “Em reunião do Comitê Gestor de emissoras públicas, realizada em Brasília, o diretor-presidente da RTVE, Bosco Martins, defendeu a flexibilização da Norma da Rede Nacional de Comunicação Pública (NOR 401), que prevê ocupar parte da programação para conteúdo publicitário, pois a captação de recursos sob forma de apoio cultural garante uma melhor autogestão e a qualificação do conteúdo diante da escassez de recursos públicos”.

É LEI – “A legislação não permite a veiculação de publicidade de produtos e serviços, mas admite patrocínios e apoios culturais que, no caso da TVE, ocorre por meio de acordos de cooperação mútua. Os produtores (independentes) entram com o programa e a RTVE com o espaço”, ressalta Bosco Martins.

MERCADO ABERTO – “A produção independente é veiculada mediante acordo de cooperação mútua ou técnica. O programa entra na grade sem custo de produção e, obrigatoriamente, será de variedades tendo em seu conteúdo informações de entretenimento, esportivas, social, recreativa, etc.”, conclui a nota da do dirigente da TV Educativa