A notícia da terra a um clique de você.
 
26/04/2018 09:44

As mentiras sobre vinho, cerveja e chocolate

Mário Sérgio Lorenzetto
As mentiras sobre vinho, cerveja e chocolate

As Fake News arrasam no mundo dos alimentos, com títulos como "o vinho emagrece", "a cerveja é boa para o coração" ou "chocolate emagrece". Nada melhor que ler aquilo que faz bem para a preguiça, Ainda que seja uma evidente mentira.
Se fazer algum tipo de ginástica é algo que não o tira da cadeira, é um alívio lembrar aqueles títulos na imprensa que afirmam que "uma taça de vinho equivale a uma hora de ginástica". Como sabe a importância da atividade física em tua saúde, com essa notícia, você deve ter tomado a firme decisão de ir, todas as noites, ao bar mais próximo com a ideia de submeter-se a uma extenuante sessão de levantamento de copo em barra fixa. "Faço tudo pela saúde", talvez diga ao garçom, entre um trago e outro, enquanto fala sobre esse maravilhoso "achado científico".
Para o caso de que te preocupes com o excesso de peso, e há tentado de tudo, sem êxito, é provável que decidas que a melhor alternativa é tomar duas garrafas de vinho, seguindo as recomendações daquela outra notícia, que sustenta que "beber dois copos de vinho antes de dormir, ajuda a emagrecer".
Também é possível que tenha uma dor na coluna por causa da partida de futebol ou outro motivo qualquer e resolva ir ao boteco "tomar um analgésico", porque acaba de recordar daquele título no jornal que falava que "a cerveja é mais efetiva que o paracetamol para tratar a dor".

As mentiras sobre vinho, cerveja e chocolate

O chocolate mágico que emagrece.

Conhece aquele chocolate que emagrece? Muito bem, saiba que você vive no futuro. Talvez daqui a mil anos tenhamos o "mágico chocolate emagrecedor". Essa notícia é apenas mais um Fake News alimentar. Apenas uma má prática da ciência jornalística. Essa "noticia" fantasiosa procura apenas agradar determinado ramo da indústria alimentar. Não há uma só evidência científica que a corrobore.
Mas há um determinado jornalismo que gosta desse tipo de manchete. Adora "likes" e "visitas", as manchetes comumente são sensacionalistas e desprovidas de veracidade.
Entre os mais descabelados o destaque, o prêmio de sensacionalismo vai para aquela manchete que afirma categoricamente que as "batatas do McDonalds tem a solução para a calvície. Também há a maravilha travestida de espuma que afirma "o consumo moderado de cerveja têm efeito cardioprotetor durante um infarto do miocárdio". Agora você pode dizer em casa que está tratando do coração ao chegar bêbado.

As mentiras sobre vinho, cerveja e chocolate

1.804 taças de vinho por dia fazem bem.

Para chegar ao título de que "uma taça de vinho equivale a uma hora de exercício", tiveram que "esquecer" que essa pesquisa tinha sido feita em ratos. Administraram resveratrol na turma do Mickey enquanto eles faziam exercícios. Quer dizer: nem era vinho, nem eram ratos sedentários. Mas há outro "pequeno" detalhe que também "esqueceram de anunciar: a quantidade de vinho que uma pessoa teria de tomar para ter o mesmo efeito que teve nos ratos é "apenas" de 1.804 taças de vinho por dia. E se o vinho for branco aumente para 28.388 taças por dia. Consumo "insignificante". Certamente não destruirá seu fígado, nem seu dinheiro é muito menos sua lucidez.
O mito de que se tomar duas taças de vinho antes de dormir emagrece, está baseada em uma pesquisa realizada com somente 12 ratas. Isso mesmo, 12 ratinhos e nada mais. E tem mais: nesse estudo não aparecem as palavras "emagrecimento", nem "vinho" é muito menos "dormir". Esse famoso estudo propõe apenas que devemos comer uma enorme variedade de frutas e de vagens.
Situação semelhante se deu com as manchetes de que "cerveja é melhor que paracetamol". No estudo não existe a palavra "cerveja". Na verdade, esse trabalho advertia do contrário, mostrava o perigo do alcoolismo quando de elevado consumo.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.