A notícia da terra a um clique de você.
 
24/04/2019 06:25

Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios

Mário Sérgio Lorenzetto
Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios

No início - século II d.C. - eram pequenas casas de oração construídas para receber os cristãos. Ao longo dos séculos, essas casas cresceram. Passado o perigo do "fim do mundo", que todos os cristãos imaginavam ocorrer no ano 1.000 d.C., surgiram as primeiras catedrais, lugares imensos e suntuosos devotados, especialmente, aos peregrinos.
Naqueles tempos, os padres e bispos passaram a ajudar a dirigir os países. Eram homens competentes e dignos de confiança dos reis. As catedrais passaram a ser uma "sede de poder", um poder paralelo ao dos reis. Situadas em importantes centros comerciais, pois ali era onde vivia a maior parte dos habitantes de uma região. A palavra "catedral" procede do termo latino "cathedra", que significa cadeira ou trono, pois desde tais cadeiras que existiam em todas elas, os primeiros bispos ensinavam a cristandade.

Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios
Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios
Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios
Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios

Só os santos vão para o céu.

A tarefa principal da catedral consistia em celebrar vários serviços religiosos a cada dia. Na Idade Média se acreditava que só os santos iam diretamente ao céu. As pessoas comuns tinham de passar algum tempo no purgatório pelos pecados cometidos em vida. Pensavam que as peregrinações, oferendas, cruzadas, a assistência a serviços especiais (como cuidar de doentes), e as missas rezadas um ano após a morte, ajudava a reduzir o tempo que teriam de passar no purgatório.
Ao contrário do que alguns imaginam, a riqueza e tamanho das catedrais não eram pensados para impressionar as pessoas, tratava-se de mostrar a Deus tudo que os homens estavam dispostos a realizar a seu serviço. Daí a facilidade com que conseguiam as imensas fortunas para a construção das catedrais. Todos, pobres e ricos, auxiliavam a construção desses imensos edifícios. Alguns com suas fortunas, outros com o suor de seus braços.

Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios
Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios

Quando os carpinteiros eram os homens mais importantes de uma cidade.

Quando a igreja resolvia construir uma catedral, uma cidade era montada a sua volta. Todos que nela trabalhariam mudavam-se com suas famílias para o local escolhido. Sabiam que passariam o resto de suas vidas naquela construção. Todas as catedrais medievais levaram séculos para ser erguidas. E os carpinteiros eram os artesãos mais importantes da época medieval. Eram eles que construíam os andaimes, as gruas, a decoração do interior, portas e, especialmente, os tetos, preocupação maior dos mestres encarregados da construção. A madeira era parte fundamental das catedrais. As janelas tiveram uma história bem diferente. As catedrais mais antigas tinham janelas muito pequenas, só eram utilizadas como contra-ventos, uma proteção de madeira contra o mau tempo. Como o vidro era extremamente caro, utilizavam madeira e linho empapado com óleo de linhaça. Mas serão os vidraceiros nos séculos seguintes que tomarão o lugar de importância dos carpinteiros quando descobriram elementos químicos que podiam ser mesclados com o vidro produzindo cores vivas.

Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios
Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios

Um raio bastava para destruir uma catedral.

Uma comoção mundial se abateu com o incêndio da Notre Dame parisiense. Eles não eram raros na Idade Média. O desastre mais comum eram as quedas das torres centrais das catedrais. A argamassa, de má qualidade, voltava a virar areia e derrubava o prédio.
Com o fim de evitar desastres, os construtores deixavam escadas em caracol para facilitar a inspeção. Observem as que ainda estão em pé, há sempre uma escada como essa. As gretas avisavam o perigo.
Nas ocasiões em que o risco de fogo era elevado, como durante as tormentas e os períodos prolongados de seca, colocavam vigilantes de guarda todas as noites para no caso de iniciar-se um incêndio pudessem apagá-lo. Ainda não haviam inventado o para-raio. As catedrais tinham um grupo de trabalhadores encarregados de realizar inspeções e os trabalhos de manutenção regulares. Mas esse era um trabalho desordenado que preocupava os monges. As catedrais sempre foram piras esperando pelo incêndio.

Catedrais medievais tinham vigias para evitar incêndios


imagem transparente
Busca

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.