ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  24    CAMPO GRANDE 28º

Em Pauta

Pandemia: seu cérebro não foi feito só para pensar

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 24/11/2020 08:52
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Pode parecer chocante, mas "pensar", "criar", "inventar", "resolver problemas", são funções secundárias do cérebro. Essa é uma longa história para uma recente descoberta. Quinhentos milhões de anos atrás, uma minúscula criatura marinha mudou o curso da história: tornou-se o primeiro predador. De alguma forma, sentiu a presença de outras criaturas nas proximidades e deliberadamente a comeu. Essa nova atividade de caça deu início a uma corrida armamentista evolutiva. Ao longo de milhões de anos, tanto os predadores quanto as presas desenvolveram corpos mais complexos que podiam sentir e se mover com mais eficiência para capturar ou iludir outras criaturas.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

A tarefa mais importante do cérebro é manter o corpo vivo.

Essa história de como os cérebros evoluíram chamam a atenção para um insight fundamental: a tarefa mais importante de seu cérebro não é pensar; é controlar os sistemas de teu corpo para mantê-lo vivo e bem. De acordo com as descobertas recentes da neurociência, mesmo quando ele está produzindo pensamentos e sentimentos, estão mais a serviço de gerenciar seu corpo. A maior parte das atividades de teu cérebro acontece fora de tua consciência. Por exemplo, todas as manhãs, quando você acorda, teu cérebro antecipa a energia de que você precisa para arrastar teu corpo para fora da cama e começar o dia. Ele inunda tua corrente sanguínea com o hormônio cortisol, que ajuda a disponibilizar glicose para o corpo obter energia rápida.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O cérebro e o orçamento.

O cérebro dirige teu corpo usando algo parecido com um orçamento. Um orçamento financeiro acompanha o dinheiro à medida que é ganho e gasto. O orçamento de teu corpo rastreia recursos como a água, sal e glicose à medida que você os ganha e os gasta. Cada ação que gasta recursos - levantar, correr e aprender - é como um saque de tua conta. Comer e dormir, são como depósitos.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Alostase, o processo para alcançar a estabilidade.

O nome que dão a esse orçamento corporal é alostase. Significa prever e se preparar automaticamente para atender as necessidades do corpo antes que elas surjam. Considere quando você está com sede e bebe um copo de água. A água leva cerca de 20 minutos para chegar à corrente sanguínea e mais outros tantos para chegar às distintas células corporais. Mas assim que você bebe água, a sede passa rapidamente, em poucos segundos. O que alivia tua sede tão rapidamente? Teu cérebro. Ele aprendeu com experiências anteriores que a água que você tomou é um orçamento para teu orçamento corporal que irá hidratá-lo, então teu cérebro mata tua sede antes da água ter qualquer efeito direto no teu corpo.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Considere os tempos de pandemia com o orçamento corporal.

Todos estamos vivendo em tempos difíceis. Todos corremos alto risco de orçamentos corporais prejudicados. Se você se sente cansado da pandemia e está lutando contra a falta de motivação para manter o distanciamento por ela exigido, considere tua situação de uma perspectiva de orçamento corporal. Teu fardo parecerá mais leve se você entender teu desconforto como algo físico. Quando um pensamento desagradável surgir em tua cabeça, algo como "não aguento mais essa loucura", pergunte-se sobre o orçamento corporal. "Eu dormi o suficiente na noite passada?", deve ser a primeira pergunta. "Estou desidratado", "devo dar um passeio seguro?" "telefonar para um amigo?", são questões essenciais visando manter o orçamento corporal. Não é um jogo de semântica. Trata-se de dar um novo significado às tuas sensações físicas para guiar tuas ações. Reconheça o que teu cérebro está realmente fazendo e se console com isso, não se perca em depressões. Lembre-se que tudo que cérebro faz, de pensamentos a emoções e sonhos, está a serviço do orçamento corporal.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário