A notícia da terra a um clique de você.
 
12/01/2017 07:08

Venda de maconha dispara 30% nos EUA. E no Brasil...

Mário Sérgio Lorenzetto
Venda de maconha dispara 30% nos EUA. E no Brasil...

Cresce a legalização da maconha nos Estados Unidos. Outros quatro Estados, nas últimas eleições, disseram sim à legalidade. Califórnia, Massachusetts, Maine e Nevada somaram-se aos quatro Estados onde a maconha já era vendida livremente. Os efeitos já são sentidos na economia. As vendas legais cresceram 30% antes dessa nova rodada de liberalização. O número impressiona. Faturaram 6,7 bilhões de dólares no ano passado com a venda e projetam crescer a um ritmo de 25% ao ano. Chegarão, só em lucro, à casa dos 20 bilhões de dólares em 2021. Gostem ou não, mas as únicas indústrias que experimentaram crescimento semelhante nos últimos anos foram a TV a cabo e a internet.

Enquanto eles ganham dinheiro com a venda da maconha, nós queimamos dinheiro mantendo algo como 300.000 pessoas nas "belíssimas e pacíficas" cadeias. Todos funcionários exemplares das empresas PCC e CV. Trabalham para "respeitáveis" empresários como Marcola e Fernandinho Beira Mar. Um negócio fenomenal. Pagamos o almoço desses "funcionários". Os ingênuos dizem que não há almoço grátis. Oferecemos não só almoço, mas "casa", cama, comida e roupa lavada. Eles faturam e nós pagamos pelo que? Segurança?

Enquanto os "gentis e competentes" empresários e funcionários da maconha no Brasil se degolam e devoram, o governo anuncia a construção de mais presídios. Dos 300.000 funcionários das empresas da maconha, brevemente, teremos 400.000? Enquanto isso, nem um só centro de tratamento de dependentes químicos é construído. A nau da maconha continuará singrando nos verdes mares dos dólares.

Venda de maconha dispara 30% nos EUA. E no Brasil...

As pessoas que vivem próximas a tráfego pesado tem 7% a mais de chance de demência

A síndrome que destrói a memória e o pensamento, é um dos piores problemas de saúde pública mundial. É devastador para o paciente e para seus familiares. Mais de 47 milhões de pessoas sofrem de demência no planeta. E não para de crescer. Deverá dobrar nos próximos anos.

A contaminação produzida pelos carros seria uma das múltiplas causas dessa epidemia. A Agencia Pública de Saúde de Ontário, a província mais populosa do Canadá, acaba de publicar um estudo na prestigiosa revista de medicina "The Lancet", demonstrando que aqueles que vivem a 50 metros de distância de avenidas e ruas muito movimentadas tem 7% a mais de risco de ter alguma forma de demência. Os que tem suas moradias entre 50 e 100 metros de distancia desse tipo de via pública, apresentam 4% a mais de risco. Já entre 101 e 200 metros de distancia, o risco é aumentado em 2%. O dióxido de nitrogênio, outras partículas finas que ficam suspensas no ar e metais pesados, são emitidas pelos automóveis. A exposição quase continuada a elas seria a causa desse aumento no risco de demência. Os automóveis poluidores, especialmente os movidos a diesel, tem vida curta no planeta.

Venda de maconha dispara 30% nos EUA. E no Brasil...

A venda de SUVs avança

Do meio rural ao doméstico. Os SUVs levaram tempo refinando sua imagem, qualidade e conforto e venceram. A mudança de mentalidade começou a refletir nas vendas. Se era sucesso em poucos países, como o Brasil, os SUVS tiveram um enorme crescimento nas vendas em todo o mundo. O crescimento foi de 22% no ano passado. A maior surpresa veio da Europa. A venda de SUVs ultrapassou a de carros elétricos (esperada e tida como a mais promissora), esportivos e de luxo. Nasceram como veículos de trabalho, apesar de seu tamanho que atrapalha na hora de estacionar, seus novos atributos dulcificaram sua aparência e manejo e os condutores começaram a valorizá-los como alternativa econômica.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.