ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 27º

Ensinar Juntos

Hierarquia, eu quero uma para viver

Por Carlos Alberto Rezende (*) | 08/02/2024 09:26

Respeitar a hierarquia pode ser um desafio para algumas pessoas jovens, em vários ambientes: em casa, na escola, no trabalho etc. É de grande utilidade para a moçada entender a importância da hierarquia em certos contextos e não achar que o importante é que apenas suas vozes sejam ouvidas e que somente as suas opiniões podem contribuir de maneira significativa. É o que chamamos de "saber ouvir".

A verdade é que jovens educados sem limites podem ter dificuldades em respeitar a hierarquia. Estabelecer limites claros desde cedo e promover uma cultura de respeito e de saber ouvir com responsabilidade, pode ajudar a criar uma base sólida para que essa nova geração entenda a importância da hierarquia em certos contextos.

A abordagem "educação sem limites" pode ter implicações na saúde emocional dos jovens, uma vez que pode resultar em falta de estrutura, disciplina e respeito. É relevante encontrar um equilíbrio saudável entre a liberdade e a responsabilidade na educação dos nossos filhos e filhas, para promover um desenvolvimento emocional saudável; limites claros e expectativas realistas podem ajudar as crianças a desenvolverem resiliência e respeito. É um tema complexo e variado, e as necessidades de cada um podem ser diferentes.

A questão da educação da criançada e o respeito pela hierarquia é bastante complexa e envolve muitas variáveis. A falta de limites e uma educação permissiva podem, em alguns casos, levar à dificuldade em respeitar a hierarquia e autoridade, mas não é uma regra absoluta. O respeito é uma qualidade que é ensinada e reforçada por meio de valores familiares, culturais, educacionais e no seio familiar.

Muitos jovens enfrentam desafios emocionais diários e coisas simples, como conviver com a vizinhança, com os colegas de faculdade, com o mercado de trabalho etc, devido à pressão, à competição e às expectativas, tornam-se uma carga pesada demais para ser carregada. É fundamental que haja maior conscientização e a prática de um valor fundamental para a nossa existência: saber ouvir os mais velhos, o que se torna respeito, um dos valores fundamentais para o sucesso na vida.

A vivência diária em casa ajuda os adolescentes a lidarem com o estresse diário e a aprenderem a lidar com opiniões diferentes das suas, com respeito e harmonia. O pensamento crítico e a habilidade de questionar são aptidões importantes que podem ser fomentadas, mesmo dentro de uma estrutura com limites e regras claras. A comunicação efetiva é chave na educação; encorajar os jovens a serem articulados e expressarem suas opiniões de maneira respeitosa, pode ser uma forma de ensinar sobre hierarquia e limites, sem reprimir seu sentido de independência e autoexpressão. É importante encontrar um equilíbrio entre a autoridade e a autonomia na educação dos jovens.

E para finalizar, deixo uma mensagem aos pais e responsáveis: vocês podem construir uma casa sem fundação, mas torçam para que a terra nunca se mova!

 (*) Carlos Alberto Rezende é conhecido como Professor Carlão.  

Nos siga no Google Notícias