A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


18/09/2017 08:36

Desafios e soluções na arrecadação para formaturas

Emanuel Steffen

A formatura representa mais do que somente um evento festivo devido a sua importância simbólica. A formatura é, antes de tudo, a consumação de um sonho para milhões de jovens brasileiros e para suas famílias: o diploma universitário. Esse sonho, todavia, não costuma ser barato. Logo, existe um desafio para a comissão de formatura que é responsável pelo evento: como alinhar as diversas expectativas com os valores que os formandos estão dispostos a pagar?

É complicado convencer um grande número de pessoas a despender um valor alto e muitas vezes concentrado em poucas parcelas, principalmente se as pessoas acharem o valor abusivo ou não entenderem como ele foi calculado. Além disso, outro problema que comissões costumam enfrentar é relacionado à quantidade de movimentações financeiras durante o período de arrecadação. Algumas turmas chegam a gerar 300 boletos por mês. Dentre os aderidos, há os adimplentes, os inadimplentes, os que estão renegociando, os que cancelaram a adesão. Com isso,
temos todos os ingredientes para um problema comum em todos os níveis da nossa sociedade: falta de controle financeiro. Há também, muitas agências de formatura não garantem por contrato a transparência das informações financeiras para as comissões – como o preço de cada fornecedor contratado, por exemplo. Dessa forma, os alunos muitas vezes não sabem ao certo se os valores cobrados para contratar os fornecedores e as atrações estão em linha com o praticado no mercado.

Assim, chegamos a três grandes desafios: 1. Baixa adesão dos formandos à festa de formatura;

2. Descontrole financeiro;
3. Pouco poder de barganha das comissões com as agências de formatura.
As soluções existem, e começaram a ser adotadas por diversas comissões por todo
o Brasil. Basicamente, estamos falando de arrecadação profissional antecipada, que
oferece uma melhor gestão e controle do dinheiro.

Podemos dividir em três as formas de levantar dinheiro:

1. Adesão dos formandos (venda dos pacotes da festa);
2. Venda de extras (convites individuais, mesas extras e cachê fotográfico);
3. Outras alternativas

No rol das outras alternativas, temos as rifas, a realização de festas e outros eventos acadêmicos, a venda de itens – como canecas, brindes e doces –, entre outras opções. Todavia, a maior parte da arrecadação da formatura vem das duas primeiras opções. Segundo levantamento do Banco de Formaturas, no Estado de São Paulo, em média, cerca de 60% da arrecadação vem das adesões e grande parte dos 40% restantes vêm da venda dos extras. Ou seja, as outras alternativas acabam tendo um impacto limitado. Além disso, o maior problema ocorre quando a comissão planeja a adesão dos formandos sem considerar o quanto eles estão dispostos a pagar e inicia a venda dos pacotes pouco tempo antes da festa – impossibilitando a divisão do valor em mais parcelas. Nesse caso, muito provavelmente o valor da adesão será impeditivo para muitos alunos que sonhariam em comemorar a grande conquista do diploma com a família e os amigos. Felizmente, há uma forma de fugir desse buraco. Basta planejar e realizar a arrecadação de forma antecipada e profissional. “De forma antecipada” significa arrecadar, no melhor dos mundos, ainda no início do curso, antes mesmo de contratar uma agência de formatura.

Com isso, é possível diluir o valor da adesão em mais parcelas, facilitando a vida de alunos que teriam dificuldade em arcar com o custo concentrado, e aumentar o poder de negociação das comissões, proporcionando uma diminuição preço da festa. Já “de forma profissional” significa oferecer diferentes opções de meios de pagamento para os formandos, realizar a cobrança automaticamente – como é possível por meio de plataformas especializadas de arrecadação e cobrança para formaturas – e ter, como aprofundaremos adiante, relatórios de controle online
automatizados.

Pela quantidade de movimentações financeiras realizadas, fica muito fácil perder o controle do que realmente entrou, do que saiu e de quem está devendo. A melhor forma de evitar isso e também de contribuir para a transparência da atuação da comissão com o restante da turma é ter relatórios consistentes. Quais? Tenha, pelo menos, a relação de todas as compras feitas, a situação financeira atualizada de cada formando e o extrato detalhado de todos os recebimentos e pagamentos. É claro que elaborar esses relatórios fica mais complicado se o processo for manual.

Além disso, com a ferramenta de arrecadação correta, é possível checar se os valores passados pelos fornecedores para cada item são justos ou superfaturados. Isso é importante, até porque agências de formatura chegam a lucrar R$300.000,00 com uma única festa. Com os dados corretos, uma comissão de formatura tem o poder de diminuir consideravelmente os valores da formatura. Ela passa a deter o poder de criticar as contratações e verificar se são condizentes com os valores de mercado.

Ter valores em caixa ajuda no poder de barganha porque as negociações com fornecedores podem ser feitas à vista, o que aumenta as chances de obter melhores condições negociais. Conclui-se que a melhor forma de arrecadar dinheiro para a formatura é, na verdade, fazê-lo de forma antecipada utilizando uma ferramenta que ofereça para as comissões as condições para que o custo da festa diminua e que o dinheiro arrecadado renda com os investimentos ao longo do tempo. Ao mesmo tempo, um outro segredo para a arrecadação funcionar bem é o alinhamento da
comissão com as expectativas dos formandos – sejam de custo, atrações ou espaço – para chegar ao melhor denominador possível. Tendo o controle do dinheiro, fica muito mais fácil decidir e trabalhar para os formandos pagarem menos ou para a festa de formatura ter mais serviços ou atrações.


Fonte: Henrique Soares\Dinheirama.com Disclaimer: A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

A importância de dar uma pausa
Estou escrevendo este texto em um dos muitos feriados que este ano teve, e já pensando que o próximo também terá vários. Quem me conhece sabe que est...
Por que a maioria das lojas online não aceita débito
Desde que a internet se popularizou entre as pessoas no mundo todo, uma das áreas que mais cresceu foi, sem dúvida, a de comércio eletrônico. No come...
Errou? Que bom, agora você é alguém melhor e mais forte!
Errar. Como erramos durante toda a nossa vida, não é mesmo? Pode ser nos negócios, nas contas, nas relações, na falta de coragem ou nas decisões prec...
7 Dicas práticas de economia com o lazer
1.Aproveite mais os pequenos prazeres da vida: Uma volta no parque, um cochilo na rede, um piquenique no jardim e um filme com pipoca em uma tarde ch...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions