A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Junho de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


09/03/2016 08:09

Imposto de Renda: a responsabilidade é sua

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Mais uma vez, chegou a hora de prestar contas com a máquina comedora de renda. Do início de março até 30 de abril, devem prestar contas aqueles que tiveram renda tributável acima de R$ 25.661,70, rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte acima de R$ 40 mil, bens acima de R$ 300 mil e também os tradicionais casos de ganhos de capital e atividade rural.

A principal recomendação para a declaração de Imposto de Renda é que você mesmo deve fazer a sua. Não estou menosprezando o papel de contadores que prestam esse serviço. Mas é importante você dominar suas informações financeiras.

Hoje, a Receita Federal é capaz de cruzar todas as movimentações que afetam seu CPF, entre folha de pagamentos, bancos, cartões de crédito e compras de grande valor. O governo sabe quem sonega e quem age dentro das regras, e a malha fina só não é mais fina porque a fiscalização não dá conta. Não é razoável o governo conhecer sua vida financeira melhor do que você mesmo. Dê valor à declaração, preencha-a e contrate um contador só para revisá-la e orientá-lo. Adquirido o hábito, preencher a declaração é como montar um quebra-cabeça. Basta seguir as orientações e copiar dados que você deveria ter organizado.

Caso você ainda tenha patrimônio ou renda não declarados, informe-se com seu contador sobre como regularizar isso sem se onerar mais que o necessário. Neste ano, por exemplo, o governo está anistiando de multa quem declarar bens no exterior até então omitidos. O prazo para declará-los acaba em 5 de abril – atente ao prazo, se for seu caso.

Não estou assumindo as dores do governo nem implorando à população que contribua com a insana sede arrecadatória. Pelo contrário, defendo que paguemos o mínimo devido obrigatoriamente ao governo, aproveitando todas as isenções e oportunidades de direcionar impostos devidos a mecanismos mais responsáveis de gestão da arrecadação – como instituições filantrópicas, planos de previdência e afins. Entretanto, quem sonega está agindo à margem da lei, expondo-se a multas desproporcionais e até a confisco de bens. Afinal, o que não é declarado não tem dono.

Algumas técnicas para reduzir o imposto a pagar incluem manter na informalidade pequenos negócios (o que não é ilegal, desde que seguidas as regras), dividir as declarações familiares em mais de um CPF (abrindo mão de dependentes, mas aumentando o limite de isenção), comprar moeda estrangeira (que nos blinda da inflação sem a apuração de lucros tributáveis) e consumir com moeda não financeira, como milhas e moedas comunitárias. Informe-se e não pague nada além do devido. Se não gosta das regras, é nas eleições, e não na declaração, que você deve manifestar sua defesa.

Fonte: Gustavo Cerbasi\ www.maisdinheiro.com.br.
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

4 passos para sair do superendividamento
Toda semana recebemos mensagens de leitores realmente desesperados. Muitos destes que conversam conosco se encontram em uma situação grave de endivid...
Gere mais renda revendendo importados
Uma das formas mais seguras de gerar renda extra ou de iniciar um negócio de sucesso é através de produtos para revender. Isso porque independente do...
Conselhos aos jovens que estão desempregados
Segundo o IBGE, o desemprego entre os jovens é de quase 29%. E não há perspectivas de uma rápida melhora. A nova geração encara desafios que a maiori...
Por que políticas de estímulo geram recessões
A falácia da vidraça quebrada, popularizada por Frédéric Bastiat, continua sendo a metáfora perfeita para mostrar as consequências daquilo que se vê ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions