A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


07/10/2013 07:51

O que é Spread Bancário?

Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Quando você investe em títulos públicos, você empresta dinheiro ao governo. Quando você investe em debêntures, você empresta dinheiro a uma empresa. Quando você investe em um CDB, você empresta dinheiro ao seu banco. O principal objetivo de um banco não é o de oferecer produtos aos clientes, e nem boas opções de investimento. O objetivo principal dos bancos é o de realizar a “intermediação financeira”, ou seja, fazer a ponte entre os agentes econômicos superavitários (recursos em excesso) e os deficitários (que possuem escassez de recursos). Isso significa na prática que a principal função de um banco é a de: emprestar dinheiro. Para isto eles buscam captar dinheiro no mercado pagando o mínimo possível (rendimento do CDB, por exemplo), e ao realizar empréstimos a terceiros oferecendo as maiores taxas possíveis.

Esta dinâmica é o que caracteriza o famoso “spread bancário”, e é como os bancos ganham (muito) dinheiro, já que taxas superiores a 10% ao mês são comuns. Mas como os bancos conseguem emprestar dinheiro a taxas tão altas? Além de contar com o povo brasileiro e sua (falta) de educação financeira, é comum que os mesmos mostrem sua taxa de juros em números mensais, pois não é positivo comercialmente informar que o juros do crédito rotativo é 333% ao ano, além de outras estratégias que envolvem o marketing.

Para compreender melhor como funciona um banco, vamos imaginar que este possua apenas dois tipos de “produtos”. De um lado temos os “insumos” a custos muito baixos, que nada mais é que o produto de investimento (CDB), que serve para tomar dinheiro emprestado dos agentes superavitários (investidores). Do outro lado temos o “produto final” do banco, ou seja, o “empréstimo”. Nesta hora o banco vende seu produto emprestando o mesmo dinheiro a outrem, mas com mais juros.

Concluindo: se você investir no CDB a uma taxa de, por exemplo, 110% do CDI, ganha o direito de “tomar um empréstimo” a 1,95% ao mês. Ou seja: você empresta ao banco a 10,7% ao ano (antes de impostos) e ganha o direito de pegar emprestado dele a 17,5% ao ano. Sentiu a diferença? Isso é spread bancário. Você tem que escolher de que lado quer estar: do lado que paga juros ou do lado que recebe juros. Não é difícil de perceber que ter dívida significa estar do lado errado, por isso, pague sempre suas dívidas antes de pensar em investir.

(*) Com informações Blog do investidor

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas conseqüências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

Desapegue das coisas inúteis!
Dizem que quando estamos apegados demais a determinadas coisas, não liberamos espaço para outras. Isso vale para pessoas e relacionamentos, atitudes,...
Diferenças entre direitos e privilégios
"Eu tenho esse direito!" Várias pessoas fazem essa afirmação sem nem sequer pensar na natureza e na fonte dos direitos. O que são direitos? De onde e...
Economia e os cabos do seu iPhone
Os produtos da Apple sempre foram bonitos. Ainda que você não seja fã da empresa, não há como negar que a Apple utiliza materiais de primeira para cr...
O agora é a única coisa que você tem: concentre-se nisso!
É natural que quando começamos a pensar e investir em educação financeira, façamos uma série de planos para o futuro para tentar organizar um caminho...



Como aluno e entusiasta de Administração, aguardo mais artigos sucintos e bem explicativos como esse! Informações as quais podemos já saber, mas com o tempo esquecemos alguns detalhes, estes bem colocados aqui.
 
Filipe Barbieri em 07/10/2013 10:27:14
Gostei da coluna! Espero que venham outras matérias sobre o nosso obscuro mundo financeiro.
 
Aldo de Queiroz Jr em 07/10/2013 08:17:14
Adorei!
 
Carina Urbanin em 07/10/2013 08:12:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions