A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


08/08/2014 14:42

'Os candidatos e os desafios das pesquisas’

Manoel Afonso

PESQUISAS Elas dão o tempero a disputa eleitoral e funcionam como uma espécie de bussola aos grupos políticos envolvidos. Evidente, os resultados da amostragem da TV Morena-Ibope não traz grandes novidades, mas não deixa de ser significativa.

PORQUE? Permite ao leitor reperguntar: Delcídio sobe e vence no 1º turno ou sofre desgastes por conta do caso Petrobrás? Nelsinho deslanchará agregando apoiamentos consistentes? Azambuja surfará na onda comandada por Aécio Neves?

QUESTÃO: A postura anti-PT em São Paulo, ganhará dimensões a ponto de irradiar influencias à outros Estados? Na sucessão ao Planalto é possível, mas eleição doméstica é diferente, prevalecem questões que dizem respeito mais ao seu povo.

A INTERPRETAÇÃO das pesquisas pelos candidatos é otimista. Lembram: “ o horário eleitoral nem começou.” Mas é preciso também levar em conta o fator rejeição, os percalços ao longo da campanha e até a influência da sucessão presidencial.

E MAIS... Não pode passar despercebido o contingente de 55% de pesquisados ( na espontânea) que não escolheram nem um dos nomes apresentados. Portanto há chances de se alterar o quadro final dependendo da decisão futura destes eleitores.

PLANALTO Não é só a forma de administrar o Brasil que decepciona a gente. É também a forma de se fazer oposição, longe do candidato ideal. Daí essa falta de empolgação que reflete em 22% de indecisos e nulos na pesquisa Ibope.

PREVISÕES Não são das melhores no campo econômico social. Observadores comparam a situação do país a uma bomba relógio. Ganhe quem ganhar, terá que fazer mágicas. Agora, quanto às promessas de campanha, ficam para depois.

BERNAL A recente decisão do STJ deixa-o cada vez mais distante da prefeitura da nossa capital. Paralelamente postula o Senado onde aparece nesta pesquisa Ibope logo abaixo de Simone e apostando no crescimento com o horário eleitoral.

ESTRATÉGIA Bernal luta contra o tempo para sustentar juridicamente a candidatura. Aposta que o TSE não consiga pautar seu processo de impugnação até 21 de agosto, data máxima prevista para a Corte julgar todos os processos pendentes do país.

A BATALHA Como nos pleitos anteriores o TSE estará atolado de processos para apreciar, mas tende a priorizar os casos de candidaturas ao governo e senado. Caberá à presidência do TSE escolher quais os processos serão julgados inicialmente.

DETALHE Enquanto não se julga no TSE, Bernal tem o direito de integrar a urna eleitoral do TRE. Se desfavorável a decisão, mas só após o preparo das urnas, sua fotografia permanecerá, mas constando o nome do seu candidato substituto.

EXPLICANDO: Vão para as urnas, até a data da preparação oficial pelo TRE, o candidato com registro deferido, o deferido com recurso, o indeferido com recurso, o cassado com recurso e o substituto majoritário pendente de julgamento.

TIRO NO PÉ Se as pesquisas dizem que os jovens não estão interessados em debater as eleições, eles estão sendo excluídos das mensagens e programas dos candidatos. É aquela velha história, eles reclamam, reclamam, mas não participam.

COMPARANDO Proposta eleitoral é igual propaganda comercial: ambas miram o seu público com potencial de consumir. Se o grosso do eleitorado tem entre 27 e 40 anos, produz e tem família, é esse grupo que irá merecer atenção dos candidatos.

TELEVISÃO Também para o horário eleitoral é válida a teoria de que na telinha o feio fica mais feio, enquanto a beleza é realçada. A junção dos fatores simpatia e emoção, aliada a capacidade de despertar a confiança podem virar o jogo.

MILAGRES Já notaram? Graças aos recursos digitais, as fotos dos candidatos tem efeitos rejuvenescedores: Pele lisa sem manchas, dentes alvos. Mas na TV. apesar da maquiagem, as lentes de aumento das câmeras e os holofotes mostram tudo.

ALÍVIO Esse é o clima entre os contabilistas após as medida do prefeito Olarte para destravar o atendimento na prefeitura da capital. Contabilistas e prefeito debateram por duas horas essa relação na busca de medidas práticas e sem ônus maiores.

EXEMPLO Quem precisa de ‘habite-se’ ou alvará está investindo e gerando empregos e renda na construção civil. Não pode ser vítima pela troca do diretor do departamento, substituído por outro sem preparo, apenas por motivo ou capricho político.

EQUILÍBRIO É a grande mudança na prefeitura da capital, com a instabilidade dando lugar ao diálogo e a participação efetiva de grupos políticas. O prefeito vai assim impondo sua marca, agregando prestígio e lapidando sua liderança crescente.

‘INTELIGENTES’ Como conquistar votos em Campo Grande sem riscos perante a Lei? Muitos candidatos devem repetir o sucesso da formula adotada no pleito anterior. Claro, além de dinheiro é preciso ter gente para montar todo o esquema.

SEGREDO-1 Caberá ao coordenador de cada região contratar líderes de bairros e de grandes famílias para a missão de "ativistas". A média salarial é de R$500,00 mensais sem compromisso de horário ou agenda diária. Basta estar "a disposição".

SEGREDO-2 Ativistas não seguram bandeiras nas ruas. Apenas visitam amigos para levá-los a participar de reunião com os candidatos. Descompromissados politicamente, muitos oriundos de outras regiões do país, esses eleitores acabam seduzidos.

“Nada é tão admirável em política quanto a memória curta.” ( John K. Galbraith)

Falta honra, sobra esperteza na política
‘HONRA’ Vem do latim ‘honor’, sinaliza a própria dignidade de uma pessoa que pauta seu modo de vida nos ditames da moral. Para o jurista italiano Adr...
Política, um elevador com pegadinhas
RICARDO AYACHE Descendente de libaneses de boa cepa, o presidente da Cassems segue a filosofia ‘tudo a seu tempo’. Mesmo assediado por lideranças par...
Sobram leis, falta sensibilidade!
ESSE PAÍS... Na infância plantei café, colhi algodão, engraxei sapatos, vendi frutas e velas em cemitério. Experiências positivas. Lendo a notícia de...
Política, só para os profissionais?
DEFINIÇÕES de história: “A história é uma puta. Sempre fica bem quem paga melhor” ( Gal Juan D. Peron) “A história é um conjunto de mentiras sobre as...


A pesquisa é um método científico por intermédio do qual se consegue apontar resultados acerca de determinado assunto; quando se trata de pesquisa eleitoral, onde se pergunta em qual candidato o eleitor votaria ou não votaria, esse resultado representa a análise do momento, porque, depende de vários fatores que podem influenciar na avalia~]ao dos candidatos, elevando ou reduzindo suas cotações, porém, com certeza, as pesquisas sempre foram levadas a sério pelos candidatos. A partir da próxima semana, as pesquisas levadas a efeito, mostrarão um cenário cada vez mais realista para apreciação dos eleitores; dos seis candidatos postulantes ao cargo de governador, apenas tres deles apresentam com chances reais de uma disputa que promete ser acirrada.
 
benedito rodrigues da costa em 09/08/2014 09:00:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions