A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Novembro de 2019

06/11/2019 08:00

Empresa começou no porta-malas e virou sucesso com "Alho Prático"

A ideia era reforçar a renda de Anelisa Martinez Rodrigues e do marido, mais ganhou força e reconhecimento pela qualidade

Post Patrocinado
O Alho Prático  é a marca de qualidade que facilita muito o dia a dia (Foto: Marcos Maluf)O "Alho Prático" é a marca de qualidade que facilita muito o dia a dia (Foto: Marcos Maluf)

A princípio, a intenção era vender alho e reforçar a renda do casal Anelisa Martinez Rodrigues e Cristiano Oliveira da Silva. “Estava grávida e tinha sido demitida do banco onde trabalhava. Precisava pagar as contas e foi aí que tivemos a ideia de vender alho”, lembra ela. Mas o negócio pequeno, com a venda no porta-malas do carro, cresceu. Levando a sério o alto padrão, virou a indústria "Três Meninas Comércio de Alimentos". "Agora a fábrica é a menina dos meus olhos", diz Anelisa.

Com o produto "Alho Prático", o comércio vingou e hoje, 6 de novembro, completa 2 anos como produto elogiado nas mesas e estabelecimentos do ramo de alimentos sul-mato-grossenses. A ideia simples, de vender alho descascado em saquinhos, conquistou os clientes pelo cuidado com a seleção do produto e controle rígido de qualidade.

Na época, o casal comprou 50 caixas de alho para começar e em menos de um mês chegou a vender 40 mil quilos da mercadoria. “O negócio deu tão certo dentro do carro que não demorou para que estivéssemos fornecendo para uma grande rede de supermercados. Logo viramos sócios da empresa que era nosso fornecedor. Abraçamos o desafio e com seis meses a parte societária estava paga, ficamos no CEASA por 6 anos. Trabalhamos até criarmos nossa própria marca”, conta Anelisa.

Em 2017 surgiu a empresa “Três Meninas Comércio de Alimentos”, em homenagem a Anelisa e suas duas filhas: Giovanna e Isabella. A proprietária conta que o alho sempre esteve na sua vida, o pai Olímpio, trabalhou com o produto no Paraná e agora está no Estado de Rondônia, junto com o filho.

Naquele tempo, ele era um dos maiores comerciantes de alho da região. “Cresci dentro de um armazém, faz parte da minha história e era uma diversão de férias viajar pelas lavouras. O alho vinha em rama e era feito o processo de corte e seleção. Movimentava a economia da cidade e tinha até um projeto de criar o ‘alhódromo’, um lugar específico para limpeza do alho”, lembra a empresária.

Fotografia tirada há mais de 30 anos mostra os funcionários do antigo armazém de alho de Olímpio José Rodrigues (Foto: Arquivo pessoal)Fotografia tirada há mais de 30 anos mostra os funcionários do antigo armazém de alho de Olímpio José Rodrigues (Foto: Arquivo pessoal)

A proposta de Anelisa de trabalhar com alho tomou força após uma rápida pesquisa de mercado. “Notamos que não tinha nenhum distribuidor somente de alho e começamos a trabalhar com o alho a granel. A empresa logo ganhou destaque pela qualidade e hoje temos uma lista com mais de 200 restaurantes, hortifrútis, supermercados e redes de atacados”.

Agora a indústria conta com dez funcionários, trazendo praticidade do alho já descascado para cozinhas, a economia de tempo e dinheiro. “É mais econômico, porque quando compra um quilo a granel, na verdade está levando apenas 700 gramas, se considerar o descarte de talos e casca", Anelisa dá a dica.

Atualmente, são dois tamanhos de embalagens no mercado, uma de 500 gramas e outra de 1 quilo. O produto já pode ser encontrado nos principais supermercados da Capital, como Fort Atacadista, Rede Pires, Alemão Conveniência, Hortifrúti Santa Rita.

A empresária explica que a matéria prima vem de outros estados. “Como o Estado de Mato Grosso do Sul não produz alho, a matéria prima vem de outras regiões como Santa Catarina, Goiás, Minas Gerais e também de outros países como Argentina, Chile e China. Damos preferência por produtos nacionais, porém, trabalhamos com importados quando necessário”. Conforme ela, o Brasil produz apenas 40% de alho consumido no país e o restante é de importação.

Sempre inovando, em outubro deste ano a marca criou uma pasta de alho para facilitar a vida da dona de casa. “Saiu na semana passada uma análise laboratorial de uma pasta de alho diferente das que encontram nos supermercados, 100% puro alho, com uma pequena dose de conservante. A pasta entra na linha de produção ainda em 2019”, avisa.

Os alhos são comercializados em embalagens de 500 gramas a 1 quilo (Foto: Marcos Maluf)Os alhos são comercializados em embalagens de 500 gramas a 1 quilo (Foto: Marcos Maluf)
O produto é descascado e selecionado antes de ser embalado (Foto: Arquivo Pessoal)O produto é descascado e selecionado antes de ser embalado (Foto: Arquivo Pessoal)

O respeito ao cliente também foi fundamental para o crescimento, lembra ela. “Prezamos pela higiene, nossos funcionários passam por constantes treinamentos e temos uma equipe de nutricionistas que acompanham a linha de produção”.

A empresa também conta com um monitoramento rigoroso. “Os estoques são separados por lotes e é guardada uma amostra, caso ocorra um eventual problema às mesmas são encaminhadas para análise laboratorial. "Fazemos o controle da temperatura, dos equipamentos e dos produtos”, completa Monyque Gomes, uma das nutricionistas da empresa.

Na alimentação, ela lembra o quanto o alho é um ótimo aliado. “Tem propriedades antifúngicas, anti-inflamatória, vitaminas e é comprovado cientificamente que melhora a imunidade”, destaca.

A indústria produz de 300 a 400 quilos por dia, com capacidade de uma produção de 10 mil kg mês, por isso, estoque de Alho Prático também não é problema.

A Três Meninas Comércio de Alimentos conta com um disk entrega pelo telefone (67) 3211-9592 ou pelo celular (67) 99263-9402 chame agora mesmo. As encomendas devem ser realizadas com um dia de antecedência.

Siga no Instagram, Facebook.

Ingredientes da Alho Prático são sempre frescos e selecionados (Foto: Arquivo Pessoal)Ingredientes da Alho Prático são sempre frescos e selecionados (Foto: Arquivo Pessoal)
imagem transparente
Busca

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.