A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019

17/12/2018 07:00

Fila de espera para comprar cerveja no fim de ano

Post Patrocinado
Cerveja Bamboa, brindando 2018 com crescimento surpreendente nas vendas. (Foto: Divulgação/ Bamboa)Cerveja Bamboa, brindando 2018 com crescimento surpreendente nas vendas. (Foto: Divulgação/ Bamboa)

Calma gente! Antes de mais nada, é bom explicar que não vai faltar cerveja neste final de ano no estado. Não, pelo menos da Bamboa e Moema. A fila é apenas um reflexo do crescimento das vendas da primeira cervejaria genuinamente sul-mato-grossense, instalada em Campo Grande. E para o Grupo Refriko que, além dos refrigerantes, também produz as cervejas Bamboa e Moema e o energético Furioso, o ano de 2018 está fechando em clima de comemoração.

As vendas de cerveja da fábrica superaram as expectativas de tal forma que acabaram gerando uma fila de espera de distribuidores, conveniências, supermercados e outros estabelecimentos em todo o país que, neste fim de ano, estão tendo que aguardar um tempo maior que o normal para ter as duas marcas em seus estoques.

Segundo a direção do grupo, nos últimos três meses as vendas mais que dobraram, forçando a fábrica a trabalhar a pleno vapor para atender a demanda de pedidos. Tudo isso fruto da excelente qualidade que a Bamboa e a Moema atingiram em suas fórmulas e da plena aceitação do público consumidor.

Usando água do Aquífero Guarani, de pureza inquestionável, e ingredientes de alto padrão como lúpulos e maltes importados, as duas marcas vem conquistando cada vez mais o Sul-mato-grossenses que tem se orgulhado de poder consumir um produto regional com qualidade superior, inclusive a de marcas mais famosas e tradicionais.

O Grupo Refriko aponta um crescimento de 50% em 2018, resultado dos investimentos em produção, novos rótulos e embalagens, aprimoramento da fórmula das cervejas e da ampliação do seu quadro de funcionários. Para se ter uma ideia, só neste mês de dezembro, foram contratados 20 novos colaboradores.

Mas não é só isso. As cervejas Bamboa e Moema caíram no gosto do consumidor e estão ocupando uma fatia do mercado que antes era de outras marcas. “O mercado de cerveja no Brasil se manteve estável este ano, praticamente não cresceu. Por isso o nosso crescimento vem da mudança de hábito do consumidor que passou a exigir uma cerveja de mais qualidade, com melhor aroma, sabor e cremosidade. E isso a gente tem de sobra nas nossas duas marcas”, explica Márcio Mendes, diretor presidente do Grupo Refriko, que tem a expectativa de dobrar a produção da fábrica em 2019.

AMPLIAÇÃO E INVESTIMENTOS
O aumento da produção para os próximos anos se deve a ampliação da fábrica que anexou ao seu complexo uma área de 85 mil metros quadrados. Nela serão construídos novos barracões, pátio de manobras, centro de armazenagem e a linha de envaze das garrafas de vidro, além de uma estação de tratamento de efluentes.

Até maio também deve sair dessa nova linha de produção, a Bamboa em garrafa de 600ml. A fábrica terá capacidade para envazar cerca de 20 mil garrafas por hora.

No ano de 2018 o Grupo Refriko ainda investiu no esporte. Patrocinou o Operário Futebol Clube, Campeão Estadual em MS, a equipe Masters de Basquete Masculino, que sagrou-se vice-campeã da Copa Bamboa, realizada em fevereiro, e deu nome à equipe Furioso da Stock Car Light, vencendo as 3 últimas provas com o piloto Rafael Abbate. Para 2019 o grupo já renovou o apoio ao Operário e à equipe da Stock Car.

Mas o trabalho do grupo não para por aí. Os produtos da marca Bamboa, Moema, Refriko e Furioso já estão presentes em mais de 60% dos estados brasileiros além de disputar mercado também no Uruguai, Bolívia e Paraguai, participações que vão crescer com a ampliação da fábrica antecipada para 2019/2020.

Acompanhe o Grupo Refriko no site.

imagem transparente
Busca

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.