ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 17º

Direto das Ruas

Após receber, empresa deixa serviço de corte de árvores incompleto

Para pagar pelo serviço, idoso precisou desinteirar o valor que tinha para comprar seu remédio

Geniffer Rafaela | 15/02/2023 11:15



O que era para ser uma simples poda de árvore acabou se tornando uma grande dor de cabeça para uma moradora do Bairro Jardim Uirapuru, em Campo Grande. Quem contratou o serviço foi o pai de Eliane ainda na semana passada, mas até hoje o serviço não foi finalizado. Foi a primeira vez que contrataram a empresa.

Segundo Eliane, na quarta-feira (8) algumas pessoas passaram pela rua da sua casa oferecendo serviço para realizar o corte de árvores que tem em frente à residência. “Eu não estava em casa, só o meu pai, eu tinha saído para levar a filha no primeiro dia de aula quando eles passaram. Quando voltei eles já estavam cortando as árvores”, contou.

A dona de casa ainda disse que na equipe contratada havia um antigo vizinho da família. Inicialmente, o que havia sido combinado com o idoso, de 69 anos, era somente o corte de duas árvores. Porém, ao chegar em casa, a mulher incluiu na lista a retirada dos galhos, o que totalizou R$ 1.000,00. Ainda no primeiro dia, os serviços precisaram ser interrompidos por conta de uma cachopa de abelhas.

“Primeiro a motosserra deles estragou e meu pai precisou dar a metade do dinheiro para completar o valor para comprarem outra e continuarem. Depois, em outra árvore tinha abelhas e não deram continuidade, por ser perigoso. À noite os bombeiros tiraram e logo após liguei para avisar eles e foi dito que no dia seguinte uma equipe iria em casa. No outro dia não foram e disseram que o caminhão estava com problema. Desde aquele dia eles foram aparecer só ontem”, relembra.

Eliane ainda conta que por mensagem foi dito para ela que assim que o caminhão chegasse já poderia pagar o restante do valor. Com receio de não terminarem a poda das árvores, a mulher orientou que o pai entregasse o dinheiro apenas quando os homens terminassem, mas o idoso acabou entregando o pagamento pouco antes. “Eles disseram que iam almoçar e depois voltava para terminar, mas não voltaram”.

Na última vez que a dona de casa conseguiu falar com a empresa, foi dito que estavam com problema no caminhão novamente. “Eles não terminaram de cortar e ainda deixaram galhos grossos em cima da casa. Às vezes, quando olho os status ainda encontro ele postando as podas que estão fazendo”, contou indignada.

Com o serviço incompleto, os galhos cortados ficaram em cima da calçada e também na rua. “Aqui tem comércio perto e não tem como as pessoas entrarem. Os vizinhos já estão reclamando, porque de um lado estão os galhos e do outro o buraco da obra que está sendo realizada”, relatou.

Sem conseguir um retorno da empresa, a mulher diz que eles “agiram de má-fé” com o idoso. “Para pagar pelo serviço meu pai acabou desinteirando o dinheiro de um remédio que precisava comprar. Agora o meu pai não tem remédio e está sem um real para comprá-lo”.

A Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo) informou que nesses casos a população deve contatar o Procon e pode entrar com ação cívica para tentar retomar qualquer valor que foi subtraído.

Ao Campo Grande News a empresa contratada informou que por conta de abelhas europas precisou interromper os serviços, segundo ele, os bombeiros precisaram ir no local duas vezes. Também foi informado que já estão finalizando os serviços.

(*) Matéria editada às 13h39 para acréssimo de resposta da empresa de corte de árvore. 

Direto das Ruas - O vídeo chegou pelo Direto das Ruas, o canal de interação dos leitores com o Campo Grande News. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

Clique aqui e envie agora uma sugestão. 

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos sejam feitos com o celular na posição horizontal.

Nos siga no Google Notícias