ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 31º

Direto das Ruas

Biólogo filma grupo de macacos revirando lixo em busca de comida

Flagra aconteceu no Balneário Municipal de Bonito, município turístico a 297 quilômetros de Campo Grande

Por Gustavo Bonotto | 11/04/2024 15:41

Turista registrou a cena em que animais silvestres se alimentam com restos de comida descartados em Bonito, município situado a 297 quilômetros de Campo Grande. A cena foi gravada pelo biólogo Henrique Concone, na portaria do Balneário Municipal do Rio Formoso, durante o início do mês e só foi compartilhada com o Campo Grande News na tarde desta quinta-feira (11).

No material, é possível observar primatas abrindo pacotes de salgadinho, revirando latas de lixo com garrafas vazias e até um macaco-prego "devorando" restos de chocolate.

À reportagem, Henrique disse que foi orientado a não interagir com os animais. "Me disseram para não dar nada, mas a cena é triste. Isso não acontecia há sete anos atrás, por exemplo. De lá pra cá, os macacos aprenderam a buscar comida com as pessoas".

Entretanto, a prática é desaconselhada pela PMA (Polícia Militar Ambiental). Dar alimentos a animais silvestres é considerado crime de maus-tratos, porque a oferta de alimento extra pode causar desequilíbrio da fauna, como uma superpopulação de determinada espécie.

Ana Trevelin, secretária de Meio Ambiente do município, explicou que os animais são estimulados pelos turistas. Essas alterações torna-os mais vulneráveis tornando-os vulneráveis a predadores (humanos ou não), “[...] além de diminuir sua capacidade de sobrevivência na natureza, alterar seus ciclos reprodutivos, tornando-os dependentes do alimento fornecido pelos humanos”, comentou.

Na Lei nº 5.673, de 8 de junho de 2021, que dispõe sobre a Proteção à Fauna no Estado de Mato Grosso do Sul, prevê que é considerado maus-tratos “oferecer alimento sem autorização do órgão responsável a animais silvestres em vida livre, nas áreas públicas, privadas e Unidades de Conservação”.

Ainda prevê multa que varia de 20 a 200 Uferms (Unidade Fiscal Estadual de Referência), hoje cotada em R$ 41,95. Assim, a multa aplicada pode variar de R$ 839,00 a R$ 8.390,00 “por cada animal que sofrer maus-tratos, variando conforme a gravidade da conduta ilícita”.

Receba as principais notícias do Estado no WhatsApp. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nas redes sociais: Facebook, Instagram e TikTok .

Nos siga no Google Notícias