A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Abril de 2019

15/11/2018 14:57

Falta de médicos gera discussão no CRS Aero Rancho e mulher acaba presa

Mulher disse que chegou pela manhã com três filhos e marido doentes e à tarde ainda esperava atendimento; escala previa três médicos, mas apenas um atendia pacientes

Humberto Marques
Escala da Sesau previa três médicos para o CRS Aero Rancho e concentração de pediatras em duas UPAs durante o dia. (Imagem: PMCG/Divulgação)Escala da Sesau previa três médicos para o CRS Aero Rancho e concentração de pediatras em duas UPAs durante o dia. (Imagem: PMCG/Divulgação)

Usuários do CRS (Centro Regional de Saúde) do Aero Rancho relatam a falta de profissionais para o atendimento à população nesta quinta-feira (15), feriado de Proclamação da República, que resultou em discussão e prisão de uma pessoa por desacato. Embora a escala da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) indique três médicos para atendimento geral, apenas um prestava serviços à população por volta das 14h30.

Jeniffer Rodrigues, moradores do Dom Antônio Barbosa –sul de Campo Grande–, foi presa sob acusação de desacato a servidor público. Ela informou que chegou pela manhã ao local, com três crianças e o marido, em busca de atendimento. “Tem gente que chegou às 9h, 10h, e ficaram sem atendimento”, afirmou ela. “E teve gente que chegou depois das 13h e foi atendida”, acusou.

Segundo ela, no momento em que chegou ao local havia dois médicos atendendo a população. À tarde, havia apenas um. “Vim de ônibus com três crianças no braço e o marido ruim. O atendimento estava ruim e discuti com o médico. Falam que é desacato, mas não veem o nosso lado. Fui falar com o serviço social e não tinha ninguém para atender, estavam em almoço”, prosseguiu, momentos antes de ser presa e levada para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga, onde seria registrada a ocorrência. Desacatar servidores públicos durante o trabalho, incluindo médicos, é crime passível de prisão e multa.

Jeniffer disse que buscava atendimento para os filhos e o marido. A Sesau havia escalado três médicos para o CRS para atendimento em clínica-geral. Já o serviço pediátrico seria concentrado nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) Coronel Antonino e Vila Almeida. À noite, as UBSs Universitário e Moreninhas e os CRSs Tiradentes e Nova Bahia também teriam atendimento especial para crianças.

A reportagem apurou que, de fato, havia falta de profissionais de saúde no CRS Aero Rancho no início da tarde. A reportagem contatou a assessoria da Sesau mas, até a publicação desta reportagem, não obteve resposta.



"desacatar servidor público é crime".

Estar escalado, receber pelo plantão e não comparecer no serviço também não é crime?

Quem eram esses médicos que deviriam estar lá e não estavam?

Eles vão ser pagos com o nosso dinheiro por esse plantão fantasma?
 
Christian Dainer em 15/11/2018 22:48:56
Concordamos com a atitude do médico. A população deve entender que o profissional não tem culpa do que acontece com o caos da saúde. Ele está fazendo todo o possível para melhor realizar suas funções. Se a dita senhora não está satisfeita que vá fazer "barraco" na frente da casa do Governador, do Prefeito, do Secretário de Saúde e dos Políticos sul-mato-grossenses e não ficar atrapalhando o bom andamento dos serviços e agredindo verbalmente um profissional que está ali para atender as pessoas que chegam com problemas.
 
wilson de jesus machado miranda em 15/11/2018 16:15:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions