ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 31º

Economia

Pesquisa da Fecomércio mostra tendência de queda no consumo na Capital

Por Flávio Paes | 20/11/2015 23:00

Pressionado pela volta da inflação – que traz no vácuo a perda do poder de compra- e o desemprego, o consumidor campo-grande está mais cautelosa na hora de comprar. É o que revela o Índice de Intenção de Compras das Famílias (ICF) campo-grandenses divulgado nesta sexta-feira pela Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul (Fecomércio-MS)

Neste mês foi registrado um índice de 76,3 pontos, número muito abaixo do registrado no mês anterior quando estava em 82,3 pontos. Desde julho, o indicativo está abaixo de 100 pontos, o que é considerado preocupante para a economia.
Para o presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo, os indicadores devem orientar os empresários nas suas ações. Ele sugere que os lojistas cruzem esse dado com os da pesquisa de intenção de consumo para o Natal.

“Se ampliarmos o cenário, temos a Pesquisa de Natal e 13º Salário afirmando que 29% dos campo-grandenses vão pagar contas em atraso (cheque especial, cartão de crédito, negativação de crédito). São pessoas que voltarão a consumir.” A pesquisa indicou um aporte de R$ 1,18 bi na economia de Campo Grande. Edison Araújo lembra, ainda, que outros 7% dos entrevistados afirma que vão reservar dinheiro para despesas do início do ano.

O ICF e seus componentes variam de 0 a 200 pontos. Resultados acima de 100 pontos refletem uma perspectiva otimista da média das famílias, cuja intensidade aumenta conforme o indicador se aproxima de 200. Em oposição, valores abaixo de 100 pontos denotam uma opinião média pessimista, mais intensa quanto.