A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/12/2009 09:51

Álcool é um dos vilões da inflação em novembro

Redação

Em novembro, serviços de Saúde, Transportes e preços da Educação foram os principais responsáveis pela inflação em Campo Grande, segundo o Índice de Preços ao Consumidor. O reajuste do álcool, por exemplo, foi o que mais atingiu o bolso do consumidor. Já a alimentação, está novamente em queda, como nos 4 últimos meses.

No geral,a inflação ficou em 0,24%, em comparação com outubro, conforme o Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais, da Universidade Anhanguera-Uniderp.

O maior reajsute de valores foi registrado nos preços de vitamina e fortificantes, com aumento de 7,54%; seguido por antimicótico e parasiticida, com 7,37%; e antigripal e antitussígeno, com 6,43%.

Em relação aos transportes, o maior aumento verificado foi de 2,17%% no preço do álcool combustível. Ainda neste grupo, o pneu novo teve aumento de 0,98% e a gasolina de 0,58%. Sobre a Educação, artigos de papelaria subiram em média 6,02%.

Na Habitação, a inflação foi de 0,13%, como reajuste da esponja de aço (3,30%), fósforo (3,30%), vassoura (3,09%) e nos eletrodomésticos o maior aumento foi de aparelho de DVD ou VHS (2,21%).

No item despesas pessoais, o aumento maior foi sobre o creme dental (3,46%) e fio dental (2,58%).

Os grupos Alimentação e Vestuário apresentaram deflação em novembro, respectivamente, de 0,05% e 0,31%.

"Este é o quarto mês consecutivo que o grupo Alimentação registra índice negativo", destaca o pesquisador do Nepes, professor José Francisco dos Reis Neto.

Os destaques são para manga (-15,78%), abóbora (-15,28%), limão (-15,08%), cenoura (-12,23%), berinjela (-11,11%) e laranja pêra (-10,26%). Já no subgrupo Carnes, todos os principais cortes de carne bovina apresentaram índices negativos, alguns mais significativos como: acém (-9,12%), contrafilé (-5,26%), filé mignon (-4,65%), vísceras de boi (-3,61%) e cupim (-3,39%).

As liquidações e ofertas do comércio por conta da troca de coleções representou deflação no item vestuário. Porém, os produtos que registraram as maiores quedas de preço em novembro foram protetor solar (-5,42%), sabonete (-1,92%) e absorvente higiênico (-1,68%).

A inflação acumulada em Campo Grande nos últimos 12 meses é de 3,72% e, no ano de 2009, atinge 3,13%.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions