ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  16    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Antes fora do Prodes, 92 mil empresas podem aderir a programa de incentivos

Atualmente, Campo Grande conta com 105 mil empresas registradas, mas maioria ficava fora do programa

Por Nyelder Rodrigues | 15/10/2021 13:13
Prefeito, ao lado dos vereadores, assinando a sanção da lei que valida as novas regras para acessar os incentivos fiscais (Foto: CMCG/Divulgação)
Prefeito, ao lado dos vereadores, assinando a sanção da lei que valida as novas regras para acessar os incentivos fiscais (Foto: CMCG/Divulgação)

O novo formato do Prodes (Programa de Incentivos para o Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande) foi sancionado em evento na Câmara Municipal de Campo Grande, nesta sexta-feira (15), prometendo incluir milhares de empresas no programa e até triplicar a procura pelos incentivos da prefeitura.

Conforme levantamento revelado à reportagem do Campo Grande News pelo chefe da Sidagro (Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio), Rodrigo Terra, atualmente a cidade conta com 105 mil empresas registradas, sendo que 92 mil delas são microempresas ou microempreendedores individuais.

"Em 20 anos, o Prodes conseguiu atender a 1.094 empresas com os incentivos. Isso representa cerca de 1% das empresas da cidade. É pouco. Então reformulamos a ideia e abrimos para mais interessados, como é o caso dos pequenos empreendedores. Somando tudo, são 92 mil empresas, sendo que a cidade tem 105 mil", frisa Terra.

De acordo com os dados repassados pelo secretário, 61 mil empresas em Campo Grande são formalizadas como MEI (Microempreendedor Individual), enquanto outras 31 mil são microempresas. Assim, 87% das firmas na cidade não se encaixavam na demanda de incentivos fiscais ofertada pela prefeitura anteriormente.

"Os mais leigos podem pensar que a prefeitura está abrindo mão de receita, mas não é isso. A cidade vai é ganhar, já que a maioria dos recursos que serão oportunizados com a isenção vão fazer a economia girar e retornar em impostos", explica Terra.

Por ora, ainda não há estimativas de quanto a prefeitura deve arrecadar e nem quantos empregos devem ser gerados com o Novo Prodes. "Estimulamos que as prefeituras tenham seus próprios projetos com essa objetividade, como fez Campo Grande com o Prodes", frisa Jaime Verruck, secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

Presente no evento representando o Governo do Estado, Verruck ainda elogia o foco da iniciativa municipal, que são as pequenas e micro empresas. "Isso é um grande avanço e dá competitividade à cidade para atrair novos negócios", completa.

Um dos beneficiados com o programa a Imperial Cutelaria, pequena empresa dirigida por Alexandre Barbosa. "A pequena indústria também precisa ter espaço físico confortável. Energia é importante também. Então esse tipo de acesso é importante. Tenho meu empreendimento há 12 anos e estamos a bastante tempo lutando por isso".

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário