A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Fevereiro de 2019

13/02/2019 18:03

Após contaminação por bactéria, BRF em MS passará por vistoria especial

BRF informou que todos os lotes que saírem de Dourados serão submetidos a testes de laboratório antes de liberação; empresa detectou bactéria em um dos lotes da Perdigão

Silvia Frias
Unidade em Dourados somente voltará ao regime normal após investigação  interna (Foto/Divulgação)Unidade em Dourados somente voltará ao regime normal após investigação interna (Foto/Divulgação)

A fábrica de alimentos da BRF em Dourados irá passar por regime especial, medida tomada empresa depois de descoberta a contaminação por bactéria Salmonella enteritidis em lotes de cortes e miúdos de frango in natura da marca Perdigão.

A empresa anunciou o recolhimento de 164 toneladas de lotes distribuídos pela unidade em Dourados depois que testes de laboratórios detectaram risco de presença da bactéria. De acordo com a BRF, apenas um dos lotes incluídos no recall apresentou resultado positivo, mas, por precaução, todos serão recolhidos.

Agora, depois da detecção da bactéria, a unidade de Dourados será enquadrada no regime especial: toda a produção da planta será liberada para comercialização somente após testes laboratoriais que confirmam a qualidade dos produtos.

O retorno para regime normal de operação somente será feito quando a investigação interna das causas da contaminação for concluída.

Segundo a BRF, estão sendo recolhidos coxas e sobrecoxas sem osso, meio peito sem osso e sem pele (em embalagens de 15 kg), filezinhos de frango (embalagem de 1 kg), filé de peito (embalagem de 2 kg) e coração (embalagem de 1 kg).

Todos foram produzidos na fábrica de MS, nos dias 30 de outubro e 5, 6, 7, 9, 10 e 12 de novembro de 2018. Os produtos foram comercializados nos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

A Salmonella enteritidis representa risco à saúde, podendo causar infecção gastrointestinal, cujos sintomas mais comuns são: dores abdominais, diarreia, febre e vômito.



Dizem por aí, que a ministra Tereza Cristina quer deixar a fiscalização por conta das empresas.
Haja saúde hein?????
 
Critico em 14/02/2019 12:41:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions