A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

22/04/2013 16:12

Após restrição, Portucel desiste de MS e investe R$ 3,5 bilhões na África

Nícholas Vasconcelos e Luciana Brazil
Lei impede que estrangeiros tenham mais de 5 mil hectares de terra, o que impede investimentos em celulose. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Lei impede que estrangeiros tenham mais de 5 mil hectares de terra, o que impede investimentos em celulose. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

A lei federal que impede a compra de terras por estrangeiros fez Mato Grosso do Sul perder investimento de R$ 3,5 bilhões da empresa portuguesa Portucel (Portugal Celulose).

Em 2010, a empresa manifestou interesse na construção de uma fábrica de celulose no Estado, mas para isso precisava de 200 mil hectares para implantação da unidade. No entanto, a Lei nº 5.709/71 que estrangeiros comprem ou arrendem mais de 5 mil hectares de terra, o que inviabilizou o investimento.

A unidade que seria instalada no Estado foi transferida para Moçambique, onde não existe tal limitação, com investimentos de R$ 3,5 bilhões.

Também em 2010, um parecer da AGU (Advocacia Geral da União), aprovado pelo ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), mudou a interpretação da Lei e determinou que estrangeiros não podem possuir ou arrendar acima do limite sob a justificativa da manutenção do soberania nacional sobre as terras.

“Fomos três vezes ao Governo central falarmos com a Dilma, Pimentel (Fernando, ministro do Desenvolvimento Econômico), Adams da AGU e Gleisi Hoffmann, na última audiência, eles estão estudando uma fórmula de não prejudicar investimentos estrangeiros, mas cuidar da soberania brasileira, ainda não sabemos como será essa modificação”, disse o governador André Puccinelli (PMDB) em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (22) na rádio FM 104.

A legislação brasileira e a crise na Europa foram os fatores decisivos para o cancelamento da vinda da fábrica, comunicado ao governador durante viagem ao exterior.

“É um grande impeditivo porque a empresa não pode comprar ou arrendar a terra, mas a empresa de celulose precisa de pelo menos 70% de terras próprias, foi uma soma de interesses”, afirmou Tereza Cristina Corrêa da Costa, titular da Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo). Ela diz que uma terceira fábrica, que não teve o nome divulgado, desistiu do Estado porque não sente segurança diante da legislação.

Puccinelli lembra que além da Portucel, outra fábrica de celulose, a chilena Aralco, também sofre com o impasse sobre a legislação. No caso da empresa sul-americana, foram comprados 70 mil hectares antes da aprovação da Lei, que poderiam ficar excluídos da proibição de investimentos, e empresas de bioenergia.

“Teríamos aproximadamente R$ 15 bilhões em investimentos a mais com um grupo estrangeiro investindo em uma mega fábrica de pasta de celulose, e seis a sete empreendimentos no setor sucroenergético”, lembrou Puccinelli.

De acordo com a secretária, os investimentos no setor de celulose precisam de pelo menos 12 anos. “São preciso 7 anos para maturar a plantação e eles fizeram uma opção para o investimento na África, num investimento menor”, analisou Tereza Cristina.

 

Lei trava instalação de fábrica da Portucel em Mato Grosso do Sul
A legislação brasileira, que impede estrangeiros de possuírem mais de 5 mil hectares de terra, ameaça a instalação de uma fábrica de celulose em Mato...
Portucel pode tornar MS líder em área reflorestada
A expectativa com a instalação da Portucel Papel e Celulose em Mato Grosso do Sul é de pelo menos 900 mil hectares de florestas plantadas, quase o tr...
Portucel busca financiamento para se instalar em MS
A Portucel, indústria portuguesa de papel e celulose, está buscando financiamento no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) par...
Portucel evita falar sobre local que receberá fábrica
Nem depois de reunião com o governador André Puccinelli (PMDB), representantes do grupo português Portucel conversaram com a imprensa sobre a instala...


Por causa de um metalúrgico que continuaremos ser terceiro mundo. Com grande investimento na região cresce o numero de empregos e com certeza o nível educacional, cultural e social se eleva.. O Brasil precisa ser mais inteligente, essa coisa de patriotismo barato e burro tem que acabar.. Se não acabar seremos terceiro mundo para que políticos ganhem voto de uma população que depende dela pra sobreviver..
 
Leandro Rezende em 23/04/2013 09:43:24
graça a DEUS... nosso estado não pode ficar na mão desse tipo de pessoas. enfim a lei prevaleceu...

 
PAULO SERGIO GOMES em 23/04/2013 08:47:53
Essa empresa portuguesa poderia investir aqui da seguinte forma: Compra terra e coloca em nome dos índios, pagando aos índios um aluguel para uso da terra. Quem sabe assim pagariam alguma coisa a eles depois de tanta degradação há mais ou menos 500 anos...
 
Álvaro C. Vieira em 23/04/2013 08:43:13
Graças a Deus que a União tem gente brasileira no poder, porque se a Empresa precisa de outro lugar fora de seu paòs tem que pagar o preço. A África precisa muito mais e nós não estamos a venda. Já vivemos época em que o FMI dava palpite até na reunião do presidente, mas graças a Deus e Administração de um metalurgico, nós saimos das mãos dessas criaturas.
 
luiz alves em 23/04/2013 08:21:30
POR ISSO A AFRICA É TERRA DE NINGUÉM....! VIVE UM CAOS...! OS ESTRANGEIROS NÃO ESTÃO NEM AI.....SUGAM O MÁXIMO DAQUELE CONTINENTE.
 
CARLOS CRUZ em 22/04/2013 19:54:13
esse povo de fora não quer investir eles que e ter terra no brasil, vai pra africa mesmo; aqui não jacaré ,kkkkkk
 
ramão bráz em 22/04/2013 18:47:34
pra vcs verem , nos Estados Unido, com apenas 1,5 milhao de dolares, se vc investir essa grana lá, ainda ganha cidadania americana... depois nao sabemos pque os caras sao o país mais desenvolvido.
 
francisco guimaraes em 22/04/2013 18:10:06
nem tudo é negociavel,aqui nao pode virar a casa da maria farofeira.
 
max almeida em 22/04/2013 17:55:11
Lamentável.
 
Alex Cardoso em 22/04/2013 16:32:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions