A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019

22/08/2019 14:39

Araújo se compromete a reduzir entraves para exportações via rota bioceânica

Ernesto Araújo participou de evento em Campo Grande e disse que a burocracia não pode atrapalhar os objetivos do projeto

Marta Ferreira e Fernanda Palheta
O ministro Ernesto Araújo conversa com o governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck, durante evento nesta manhã em Campo Grande. (Foto: Kisie Ainoã)O ministro Ernesto Araújo conversa com o governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck, durante evento nesta manhã em Campo Grande. (Foto: Kisie Ainoã)

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, comprometeu-se nesta quinta-feira (22), em Campo Grande, a viabilizar dentro do governo formas de fazer a integração aduaneira para facilitar o trajeto das exportações de Mato Grosso do Sul, quando se concretizar o corredor bioceânico, ligação ao Oceano Pacífica projetada há décadas e que está começando a sair do papel.

Araújo participou do segundo dia de evento em Campo Grande para discutir os investimentos classificou a “integração burocrática” como fundamental para dar competitividade à nova rota,, que cria saída para o Oceano Pacífico por meio do Chile.

“Levo daqui o compromisso de trabalhar com os outros ministérios lá em Brasília para que se comece a pensar nessa integração das aduanas”. De acordo com ele, o desembaraço mais rápidos dos produtos destinados às vendas externas é importante para que não haja perdas no projeto por questões “burocracia”.

O ministro comentou que essa ótica é a mesma defendida pelo presidente Bolsonaro e de todo o Governo, em relação à chamada liberdade econômica. “É tirar o peso do estado de cima da economia e deixar o empreendedor seja o protagonista”, defendeu.

“É fundamental ter o enfoque integrado. Isso é uma grande novidade desse governo: um governo que trabalha em equipe e que as coisas se conectam”, argumentou.

Rodovia - Araújo afirmou que na sexta-feira (23) tem reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freiras, e vai levar para o encontro “as coisas” que viu em Mato Grosso do Sul.

Ele citou a importância do investimento necessário na BR-267 para construção de uma alça de acesso à futura ponte sobre o Rio Paraguai, entre Porto Murtinho, no Brasil, e Carmelo Peralta, no país vizinho.

O trecho é de 11 quilômetros, já previstos no PPA (Plano Plurianual), que define os investimentos do governo para os próximos quatro anos.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions