A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

22/06/2012 18:57

Com 230 mil ações, Vara que cobra impostos tem reforço de funcionários

Nicholas Vasconcelos

Prioridade são os processos que ainda não foram digitalizados.

Juiz José Henrique Neiva e Silva e parte dos processos que serão digitalizados. (Foto: Nícholas Vasconcelos)Juiz José Henrique Neiva e Silva e parte dos processos que serão digitalizados. (Foto: Nícholas Vasconcelos)

A partir de segunda-feira (25) seis servidores da Prefeitura de Campo Grande começam a trabalhar na Vara de Execução Fiscal do município no Fórum para auxiliar na digitalização e andamento processos de cobrança de impostos ainda não digitalizados. Os funcionários foram cedidos por meio de um convênio celebrado entre a Prefeitura e TJMS (Tribunal Justiça de Mato Grosso do Sul) publicado na última segunda-feira (18) no Diário da Justiça.

De acordo com o juiz em substituição da Vara de Execução Fiscal, José Henrique Neiva e Silva, os funcionários devem auxiliar na digitalização de 30 mil processos de cobranças de impostos em um prazo de 10 meses. “É necessário o auxilio desses servidores novos porque o número de servidores atualmente não dá vazão a todo número de processos”, explica.

Hoje são 6 funcionários do Judiciário, 15 estagiários e um mirim para atender 230 mil processos fiscais municipais e 9 mil processos de execução estadual, que desde maio do ano passado tramitam na mesma Vara. A expectativa é de que os novos funcionários possam acelerar os processos que ainda estão papel, que têm andamento mais lento, alguns de 1995 e desarquivados recentemente.

Segundo o juiz, o prazo dos processos é muito variado já que é preciso localizar o devedor, localizar bens para o pagamento da dívida. Há processos que duram meses, enquanto outros se arrastam por anos.

A maioria dos processos é de cobrança de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) , mas com valor mínimo de R$ 500. Antes do processo o município faz programas de regularização, caso essa não tenha resultado o processo é encaminhado para a Justiça.

O convênio que cedeu os funcionários municipais tem prazo de validade indeterminado, no entanto há a previsão de concurso público para contratação de novos servidores no segundo semestre de 2012.

Caixa Econômica Federal não usará empréstimo do FGTS em 2018
Apesar da necessidade de cumprir padrões mais elevados de segurança financeira a partir de 2019, a Caixa Econômica Federal não usará o empréstimo de ...
Déficit deverá ficar até R$ 40 bilhões abaixo da meta, diz ministro
O déficit primário – rombo nas contas do governo excluindo os juros da dívida pública – em 2017 deverá ficar de R$ 20 bilhões a R$ 40 bilhões abaixo ...
Prazo para microempreendedor regularizar situação é prorrogado até sexta-feira
Os microempreendedores individuais (MEI) em atraso com o governo ganharam mais três dias para regularizar a situação. O prazo para a quitação das dív...


Para cobrar imposto a justiça estadual coloca gente para trabalhar, agora pra resolver processos que estão pendentes a anos não existe interesse por parte do poder publico.
 
Ricardo Bueno em 23/06/2012 05:19:26
Porque nao fazem isso tbem para ajudar as pessoas carentes. agora para cobrar os mais pobres............
 
thiago souza em 23/06/2012 02:59:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions