A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

26/12/2008 18:26

Dados de consulta ao Serasa apontam vendas 2,8% maiores

Redação

O espírito natalino falou mais forte que o temor da crise econômica mundial. Segundo um levantamento nacional, realizado pela empresa de análises econômicas Serasa Experian, neste Natal o comércio vendeu 2,8% a mais que no mesmo período de 2007.

Embora o resultado deste ano tenha ficado aquém do registrado entre os dias 18 e 24 de dezembro de 2007, quando as vendas do comércio varejista cresceram 5,3%, a Serasa Experian avaliou que os empresários têm o que comemorar.

"O crescimento deste ano ocorreu sobre uma base elevada obtida em 2007", afirmou o assessor econômico da empresa, Carlos Henrique de Almeida. "Podemos dizer que foi um desempenho de razoável para bom. Poderia ser melhor, mas, na atual conjuntura, diante de todas as notícias sobre crise, juros elevados e crescimento da inadimplência, o aumento nas vendas é uma boa notícia", disse.

O levantamento apontou a alta dos juros e o maior endividamento de parte da população como causas da retração nas vendas. Por essas razões, os consumidores teriam adotado uma atitude mais cautelosa, principalmente em relação ao crédito e à aquisição de produtos de maior valor agregado. Instituições financeiras e o próprio varejo também teriam sido mais conservadores ao conceder crédito.

Almeida sustentou que as vendas parceladas foram fundamentais para que, mesmo em meio à crise, o resultado fosse positivo. "O que efetivamente ajudou [nas vendas] foi a possibilidade de parcelamento das compras. Mesmo que com menor oferta de crédito, o comércio ainda pôde parcelar, inclusive produtos mais baratos, em um menor número de prestações".

O levantamento, nacional, não detalha os resultados regionais. A exceção é a cidade de São Paulo, onde a Serasa Experian detectou um crescimento menor que o da média nacional. Na capital paulista, as vendas cresceram apenas 1,1%. Em 2007, no mesmo período, o comércio paulista havia comemorado uma alta de 5,6%. "Provavelmente, um conjunto de pessoas [paulistanas] endividadas preferiu gastar menos e ser mais cauteloso", ponderou Almeida.

Em Brasília, as vendas dividiram lojistas de um mesmo shopping. Para Nalva Gervázio, gerente da Hering, o resultado da semana de Natal foi ótimo. "Foi muito bom. Chegamos a vender R$ 38 mil diários, quase o dobro do ano passado. A crise não chegou aqui, graças a Deus. As pessoas continuam comprando da mesma maneira".

Já para o gerente das Lojas Americanas, Carlos Augusto Portela Fontinele, as vendas ficaram abaixo das expectativas. "Não só a semana do Natal, mas todo o mês de dezembro não foi tão bom para nós. Não sei se foi por causa dessa crise mundial, mas o pessoal ficou um pouco receoso de comprar. No ano passado os clientes gastaram muito mais. O gasto médio por pessoa era de R$ 60. Esse ano esse valor caiu para R$ 52".

O levantamento da Serasa Experian considerou as consultas ao banco de dados da empresa feitas nos períodos de 18 a 24 de dezembro de 2008 e de 19 a 21 de dezembro de 2008. Esses dados foram comparados com as pesquisas realizadas pelos comerciantes em períodos equivalentes de 2007.

Idec alerta para tentativa de fraudes após acordo sobre planos econômicos
Pouco mais de 48 horas depois de oficializada a assinatura do acordo entre a Advocacia-Geral da União (AGU), representantes de bancos e associações d...
Dólar fecha no maior valor em 5 meses após adiamento da reforma da Previdência
Em um dia de tensões no mercado de câmbio, o dólar fechou no maior valor em quase seis meses. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (14) vendi...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions