A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

05/03/2013 18:13

Energia, alimentação e habitação puxam IPC para baixo em fevereiro

Nícholas Vasconcelos

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) fechou o mês de fevereiro em 0,19% em Campo Grande, resultado que ficou abaixo dos 1,38% registrados em janeiro. De acordo com o Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas), da Universidade Anhanguera/Uniderp esse resultado é reflexo da conta de energia elétrica, que na Capital ficou em média de 18,23%.

O grupo Alimentação também recuou em relação ao mês passado, com registro de 0,56% no mês passado contra 2,18% do mês passado. Com isso, a inflação da cidade parece caminhar para o centro da meta inflacionária do CMN (Conselho Monetário Nacional), que é de 4,5%. Houve redução de 3 ,98% no grupo habitação; 6,51% no saponáceo e 3,73% no fogão.

Segundo o levantamento, as maiores contribuições para a inflação de fevereiro decorreram principalmente dos grupos Educação e Transportes com aumento das mensalidades escolares e dos combustíveis.
Já entre os alimentos, as maiores altas foram a batata 22,04%, vinagre 17,37%, repolho 15,66% e miúdos de frango 12,48%. Enquanto a goiaba teve redução de 16,18% e o limão com 13,23%.

Os pesquisados observaram forte alta de 4,04%, em média, nos preços dos produtos e serviços do grupo Transportes, contribuído pelo reajuste de 13,16% nos automóveis; gasolina 6,22%, etanol 5,65% e diesel 3,79%.

Um dos responsáveis por alavancar a inflação de fevereiro, o grupo Educação registrou fortíssima alta em seu índice, em média de 5,28%, devido a aumentos nos preços das mensalidades escolares. Cursos de idiomas também sofreram altas em suas mensalidades, média de 18,91%, e cursos superiores, 8,89%.

Acumulada - A inflação acumulada nos últimos doze meses na cidade de Campo Grande foi de 6,04%, ultrapassando o centro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário que era de 4,5%, mas dentro do topo da meta desse Conselho, que é de 6,5%.

“Enquanto a inflação acumulada anual do grupo Alimentação atinge mais diretamente a população de menor faixa de renda, que prioriza a alimentação, onde realizam os maiores gastos, o grupo de Despesas Pessoais mostra que, principalmente, o custo dos serviços tem aumentado acima da inflação em nossa cidade.”, analisa o coordenador do Nepes da universidade, Celso Correia de Souza.

 

Empresas têm até 20 de dezembro para optar pela antecipação do eSocial
Empresas podem optar pela antecipação da implantação do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSoci...
Prazo para regularizar débitos com fisco estadual vence na sexta-feira
Contribuintes que possuem débitos com o fisco estadual têm até sexta-feira (15) para aderirem ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) de Mato Gross...


JA A GASOLINA PUXOU PARA CIMA QUANTO EM BRASILEIRO É BURRO MESMO
ECONOMIA DE 17 REAIS DE LUZ E 180 A MAIS NA GASOLINA QUE NEGOCIO DA CHINA EM KKKK
 
DOUGLAS SILVA em 05/03/2013 19:40:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions