A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

15/05/2018 16:23

Estudo prevê injeção de R$ 20 bi na economia de MS com o cadastro positivo

Pesquisa foi realizada pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito. Nova lei foi aprovada pela Câmara Federal no dia 9

Izabela Sanchez
(Fernando Antunes)(Fernando Antunes)

Pesquisa realizada pela ANBC (Associação Nacional dos Bureaus de Crédito) afirma que o cadastro positivo de clientes poderá acrescentar R$ 20 bilhões na economia do Mato Grosso do Sul. A inclusão automática e obrigatória neste sistema teve o texto-base aprovado na noite de quarta-feira (9) pelo plenário da Câmara dos Deputados, com o apoio de 273 parlamentares e 150 votos contrários.

O cadastro já funciona, de forma voluntária. O consumidor, pessoa física ou jurídica, autoriza a abertura do seu cadastro positivo, mediante ao preenchimento e assinatura de um termo de adesão, para que o seu histórico de pagamentos, realizados ou que venha a realizar, sejam disponibilizados às instituições financeiras e empresas credenciadas junto ao SPC (Serviço de Proteção ao Crédito).

O novo cadastro, segundo a pesquisa, pode inserir até 22 milhões de consumidores no mercado de crédito nacional, e mais de R$ 1 trilhão na economia brasileira. Em Mato Grosso do Sul, pode dar acesso ao crédito para cerca de 566 mil consumidores, 20% da população do Estado. Essas pessoas estão fora do mercado de crédito não por serem inadimplentes, mas por terem pontuação de crédito baixa à falta de informação.

O Estado possui 39,5% de inadimplentes, índice menor do que o registrado pela média brasileira, que é de 40,3%. O novo cadastro positivo, segundo a ANBC, deve promover uma redução de até 45% na inadimplência no estado. Na região centro-oeste o índice de inadimplência é de 40% e 2.78 milhões de pessoas podem ser beneficiadas. O acréscimo na economia na região pode chegar a R$ 122 bilhões e em todo país, R$ 1,1 trilhão.

Conforme a ANBC, a diminuição dos riscos na oferta de crédito dá acesso à juros mais baixos e maior concorrência no mercado de crédito. A lei possibilitará a inclusão de 22 milhões de pessoas no mercado de crédito, e mesmo quem não tem comprovação de renda poderá ter acesso ao crédito graças ao cadastro.

Nova lei - A proposta estabelece que gestores de bancos de dados terão acesso a todas as informações sobre empréstimos quitados e obrigações de pagamento que estão em dia de pessoas físicas e jurídicas para formação de um histórico de crédito.

Esses dados poderão ser usados por instituições financeiras para a criação de uma lista pública de bons pagadores. A medida estabelece ainda que o banco comunique ao cliente sobre a inclusão de seu nome no cadastro, além de informar os canais disponíveis para o cancelamento desse cadastro no banco de dados.

A votação da proposta deve ser concluída nesta semana, quando os destaques e as emendas serão votadas no plenário. O texto ainda segue para Senado.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions