A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

22/10/2013 17:57

Falta de operários atrasa obra e MRV paga indenização de R$ 3 milhões

Bruno Chaves
Condomínio Spazio Classique, no bairro São Francisco, será concluído em novembro (Foto: Cleber Gellio)Condomínio Spazio Classique, no bairro São Francisco, será concluído em novembro (Foto: Cleber Gellio)
Reunião foi realizada nesta terça-feira (22) por iniciativa da construtora (Foto: Marcos Ermínio)Reunião foi realizada nesta terça-feira (22) por iniciativa da construtora (Foto: Marcos Ermínio)

Diretores da MRV Engenharia se reuniram com o Procon (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor) de Mato Grosso do Sul, nesta terça-feira (22), para firmarem um acordo que minimizasse os transtornos enfrentados por clientes que convivem com a demora no recebimento de apartamentos adquiridos na planta. O atraso ocorreu por conta do boom imobiliário e falta de mão de obra. 

A construtora se comprometeu em pagar multa de 0,5% ao mês, a partir do valor do contrato, a todos os clientes que não receberam as chaves do apartamento próprio na data combinada. O total de restituição ultrapassa a casa dos R$ 3 milhões. O índice de 0,5% foi fixado pela empresa em cima do método de cobrança de aluguel, onde, normalmente, se cobra do locatário um valor de 0,3% a 0,7% do preço do imóvel.

Segundo a gestora executiva de relacionamento com clientes, Bianca Oliveira Vargas, entrarão no acordo as pessoas que compraram unidades dos empreendimentos Parque Ciudad de Vigo e Spazio Classique, nos bairros Tiradentes e São Francisco, respectivamente, em Campo Grande.

“Todos os nossos clientes que tiveram problemas com atrasos serão abordados. A média do valor que cada um irá receberá é R$ 4 mil, do Spazio Classique, e R$ 2 mil, do Parque Ciudad de Vigo”.

O valor recebido com a multa vai variar de acordo com cada contrato. Mas o total poderá ser utilizado de acordo com a vontade de cada cliente. Os exemplos citados na reunião são: depósito em conta corrente, abatimento no valor do apartamento e outros.

De acordo com o superintendente do Procon, Alexandre Monteiro Rezende, até o fim da próxima semana a construtora encaminhará, ao órgão de defesa do consumidor, uma lista com os contatos dos clientes que não receberam as chaves do apartamento no prazo estipulado em contrato.

“Vamos estabelecer uma data até o fim de novembro deste ano para que possamos fazer esse acordo com todas as pessoas. Será uma espécie de mutirão onde os clientes firmarão esse acordo com as assinaturas da empresa, do consumidor e do Procon. Vamos definir regras de pagamentos para cada um”, disse.

Alexandre ainda revelou que, para atender a demanda de clientes, os acordos também ocorrerão nos sábados. Funcionários do Procon e da MRV atenderão todos os clientes. “Nosso objetivo é resolver o problema do consumidor. Encontramos uma solução mais rápida e melhor para todas as partes”, afirmou o superintendente.

Relações institucionais da construtora participou da reunião (Foto: Marcos Ermínio)Relações institucionais da construtora participou da reunião (Foto: Marcos Ermínio)
Superintendente do Procon mediou a reunião (Foto: Marcos Ermínio)Superintendente do Procon mediou a reunião (Foto: Marcos Ermínio)

Boom imobiliário e atrasos – O relações institucionais da MRV Engenharia, Sérgio Lavarini, explicou que problemas específicos em um período da construção civil em Campo Grande motivou os atrasos na execução de obras nos dois empreendimentos da construtora.

“Na nossa avaliação, os prazos de entrega dos apartamentos foram prejudicado devido ao boom da construção civil. Campo Grande é uma cidade que vivenciou isso, muito forte. Como a MRV tem uma filosofia de contratar mão de obra local, não tínhamos gente suficiente para estar no canteiro de obras”, disse.

Lavarini lembrou que mais de mil unidades, nos dois empreendimentos, foram construídas. “Se você pensar que em cada casa possam morar três pessoas, são três mil moradores. É uma pequena cidade. Fomos otimistas, mas faltou mão de obra para concluir tudo a tempo”, disse.

O relações institucionais também garantiu que não há riscos de os consumidores ficarem sem os apartamentos comprados. “As obras estão em processo de finalização. Os apartamentos do Spazio Classique ficarão prontos até novembro de 2013 e os do Ciudad de Vigo até dezembro de 2013”, revelou.

Por entender que a carência de profissionais nos canteiros de obras não é responsabilidade dos clientes, a empresa optou pelo acordo e pelo pagamento de multa. “Adotamos essa postura porque pensamos no futuro e não podemos ficar com uma massa de clientes insatisfeitos. Temos vários terrenos adquiridos em Campo Grande e lançaremos novos empreendimentos”, contou.

Reclamações – Por causa do crescente número de reclamações sobre atrasos nas entregas de imóveis da construtora, registrados pelo Procon de MS, a MRV decidiu procurar o órgão de defesa com o intuito de minimizar a situação dos clientes lesados.

A empresa reafirmou o compromisso que tem com a Capital sul-mato-grossense e com os cerca de 2,5 mil clientes ativos na cidade. “Com a lição de casa aprendida, vamos firmar acordo com os clientes para resolvermos a situação”, avaliou Lavarini.

Enquanto isso, as entregas dos apartamentos continuam sendo feitas normalmente. Só na última sexta-feira (18), foram 27 apartamentos entregues. Nenhum cliente precisa aguardar o acordo para receber o apartamento.

A reunião e a proposta de acordo de hoje foram realizadas com a presença de diretores da MRV Engenharia, de um engenheiro da Caixa Econômica Federal, do superintendente do Procon, Alexandre Monteiro Rezende, e do acionista da construtora, José Luiz Meireles.



Isso é uma espécie de cala boca pra quem comprou os enrolados ''bloquinhos'' da MRV, fui chamado para assinar esse contrato que me pagariam 0,5% contando a partir 18 meses após eu ter assinado com a CEF. Um absurdo o PROCON apoiar esse acordo!!! Quero meus 2% de multa por atraso da obra no valor que eu paguei pelo apartamento, mais 0,33% ao mês, Aluguéis pagos de onde eu moro desde 2011 e danos morais!!
 
Douglas Rodrigues em 03/12/2013 23:24:47
Para moradores do Castelo de Luxemburgo, foi criado uma pagina do empreendimento para que todos os moradores possam reivindicar seus direitos: https://www.facebook.com/pages/Castelo-de-Luxemburgo/652189694793397?fref=ts OBS: essa pagina foi criada por moradores, e não pela MRV, a pagina serve para juntos conseguir mais força na hora de procurar nossos direitos!!
 
Carlos Kayoda em 23/10/2013 15:28:23
Acredito que os profissionais que estão reclamando sabiam qual o valor que receberiam. Me pergunto por que então aceitaram a oportunidade...enfim.
Quanto aos clientes (eu tbm sou, tenho 1 de dois quartos suite no Tiradentes) que reclamam, acabam eles mesmos desvalorizando seus próprios empreendimentos... A valorização do imóvel continua a mesma; caso eu quisesse hoje vender, teria garantido o retorno do meu investimento com um bom lucro.

 
Joao Marcelo em 23/10/2013 14:43:38
Trabalhei na obra Castelo de Luxemburgo como Aux. Administrativo, sei muito bem como é, não valorizam a Mão de Obra nem dos próprios funcionários imagina mão de obra externa. Empresa indigna do nome que tem, e mais um detalhe, para que comprou apartamentos da empresa se prepare porque vai ter muita "DOR DE CABEÇA GARANTO"!
 
Marcelo Rodrigues em 23/10/2013 11:32:06
Esqueceram de comentar que a construtora alega que só está poucos meses atrasada, devido o contrato permitir postergar por 18 (DEZOITO !!!!) meses a entrega.. Fora que nem tomada elétrica pode ser adicionada, pois além de não poder quebrar paredes, a potência de cada apartamento é limitadíssima.... Pode isso Arnaldo ??
 
Marcelo Vinholi em 23/10/2013 11:13:09
Sinceramente, é uma questão de preservação de imagem, jogada de marketing. Como a empresa pretende lançar outros empreendimentos em Campo Grande, o subterfúgio da falta de mão de obra vem a calhar. Sabemos que não é somente esse o motivo do atraso. No meu caso, a instituição que financiou talvez seja conivente, pois, se existe um engenheiro para acompanhar a obra junto a empresa, fazendo as medições para os repasses financeiros, como deixaram trocar o piso por pelo menos três vezes para resolver um problema de infiltração para os cômodos inferiores? Já paguei calculadamente em torno de R$ 21.000,00 somente de taxa de juros na fase de construção, sem amortizar meu saldo devedor, tendo em vista o atraso na entrega do imóvel. Lembram-se da taxa de corretagem? Meu retorno foi via judicial.
 
Francisco C Vasconcelos em 23/10/2013 10:09:10
Sinceramente, é uma questão de preservação de imagem, jogada de marketing. Como a empresa pretende lançar outros empreendimentos em Campo Grande, o subterfúgio da falta de mão de obra vem a calhar. Sabemos que não é somente esse o motivo do atraso. No meu caso, a instituição que financiou talvez seja conivente, pois, se existe um engenheiro para acompanhar a obra junto a empresa, fazendo as medições para os repasses financeiros, como deixaram trocar o piso por pelo menos três vezes para resolver um problema de infiltração para os cômodos inferiores? Já paguei calculadamente em torno de R$ 21.000,00 somente de taxa de juros na fase de construção, sem amortizar meu saldo devedor, tendo em vista o atraso na entrega do imóvel. Lembram da taxa de corretagem? Ganhei somente judicialmente!
 
F C Vasconcelos em 23/10/2013 10:02:34
È muito facil, pra continuar com as obras em grande ritmo, é só eles tomarem vergonha na cara e pagar o preço justo na mão de obra....ou eles pensam que vão achar mão de obra barata onde??? em Marte???kkk piada essa MRV...não valoriza a propria população...
 
wladimir candia em 23/10/2013 09:31:15
Sem sombra de duvidas, é a pior empreendedora e construtora desse país. Da a impressão que está fazendo um favor para as pessoas. Apartamentos com péssimo acabamento, não passa informações corretas, cada atendente fala uma coisa, nos boletos começaram a aparecer taxas e mais taxas. Resumindo eles não sabem nada. Pombal Vertical uma bela de uma porcaria. Se arrependimento mata-se!!!
 
Ricardo Alves em 23/10/2013 09:30:28
E o empreendimento "Castelo de Luxemburgo"?
Não irão resolver nada? Está com atraso de 1 ano (no contrato com a MRV).
Estou pagando R$700,00 de taxa de evolução de obra que nem irá descontar da minha dívida.
 
Lilian Teixeira em 23/10/2013 09:30:01
Mais uma vez o Procon passando a mão na cabeça de empresa que agem de má fé, a MRV por exemplo, não tem respeito com os clientes. Mentem descaradamente, não cumprem os prazos e ainda tenta enganar com esta indenização que não cobre os prejuízos que os clientes tiveram. Isto tudo sem falar a qualidade da obra, já fiz várias vistorias e em todas encontra problemas e o pior, a empresa não soluciona de acordo com os prazos fixados por ela mesma. Sinceramente total falta de respeito com os clientes!
 
Mário Rosa em 23/10/2013 08:40:09
Infelizmente a MRV continua agindo de má fé, é claro que o problema do atraso não é por falta de mão de obra e sim da falta de administração da MRV, que lançou novos empreendimentos sem dar a devida atenção aos que já tinham sido comercializados. Essa reportagem mostra que o Procon é muito fraco, pois esses "4 MIL reais" não dá a fase de obras que pagamos e temos o dinheiro jogado no ralo, essa é a verdade. A MRV só se manifestou após alguns protestos organizados pelos clientes do Ciudad de Vigo, porque nunca procurou os clientes antes de toda essa situação? É má fé, e o Procon está passando a mão na cabeça da MRV, achando que estão sendo justos. Constantemente a MRV está tentando mentir e enganar os clientes. Por que não atenderam nossas reivindicações de para minimizar o transtorno?
 
Thiago Aragão em 23/10/2013 08:15:39
Senhores responsável pela construtora MRV, o que estão fazendo com os clientes é inadmissível. As justificativas apresentadas, causa mais revolta e insatisfação.
 
Ademar Ferreira da Silva em 23/10/2013 08:03:53
Acho engraçado.. reclamam da falta de mão de obra mas lançam empreendimentos novos, um atrás do outro.. já que está tão difícil encontrar operários, pq não acabam um condomínio de cada vez? Absurdo mesmo é lançar novos condomínios com todas as outras obras atrasadas.
 
Larissa Martinelli em 23/10/2013 08:00:26
Sou futura moradora do Ciudad.
Aos futuros moradores do Residencial Ciudad de Vigo.. existe um grupo no facebook com o nome do nosso residencial (Residencial Ciudad de Vigo) onde tratamos dos mais diversos assuntos com relação ao nosso empreendimento. Entrem e compartilhem suas experiências conosco.
É um grupo APENAS para moradores, logo, exponham lá, desde seus anseios e frustrações com a empresa e expectativa na entrega.
Para os demais empreendimentos temos outro grupo chamado Clientes da MRV de Campo Grande-MS. Este é um grupo aberto a todos os moradores, amigos, jornalistas e demais interessados nos empreendimentos MRV. Participem também. A opinião de todos sempre será bem vinda.
 
Alessandra Figueiredo Lacerda em 22/10/2013 20:46:09
Eu quero saber o que vão fazer com quem comprou no Castelo de Luxemburgo? No contrato diz que me entregariam as chaves dia 30/09/13 e até agora nada, nem 80% da obra está concluída. Uma vergonha!
 
Luan Gomes em 22/10/2013 19:25:55
Que ridículo! Um conselho para o pessoal da MRV: tirem algumas lições com o pessoal da Vanguard, bem ali ao lado do Spazio Classique. Eles construíram QUATRO torres de VINTE andares, totalizando 480 apartamentos em menos de dois anos! Será que eles trouxeram mão-de-obra de Marte????
 
Paula Zanata em 22/10/2013 19:19:32
A receita para se manter a mão-de-obra é melhorar a remuneração. Pagam bem abaixo do mercado e querem que ninguém vá embora...
 
Filipe Alberto em 22/10/2013 18:51:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions