A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2018

28/01/2018 12:15

Feira quer ampliar força do setor calçadista incentivando indústrias

Previsão é um aumento de 5% nas vendas para lojistas comparando com a edição do ano passado

Bruna Kaspary
Ao todo são 60 expositores na feira (Foto: André Bittar)Ao todo são 60 expositores na feira (Foto: André Bittar)

Com mais de 160 marcas expondo seus produtos, a sexta edição da Feira de Calçados, Couros e Acessórios tem, neste ano, como maior objetivo incentivar que novas industrias se instalem em Mato Grosso do Sul.

De acordo com o presidente do SindiCal (Sindicato das Indústrias de Calçados de MS), João Batista Camargo, ao todo são 19 fábricas de sapatos instaladas no estado, sendo que duas novas também estão vindo para cá. A previsão da feira é que, nesse ano, tenha um aumento de 5% nas vendas para lojistas durante a feira.

Um questionamento feito por muitos expositores é a respeito dos impostos atribuídos aos mostruários que entram no estado. "São entregues às lojas apenas um pé do sapato, que fica na vitrine, e os impostos são atribuídos como se o produto fosse ser comercializado", explica João.

Para Jaime Verruck, secretário de Meio Ambiente , Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, não há motivos para não atender o pedido dos expositores, e a questão já está sendo discutida com a Secretaria de Fazenda.

Atualmente a setor gera mais de 1600 empregos diretos, principalmente em Paranaíba, Três Lagoas, Aparecida do Taboado e em Campo Grande.

Otimista, o representante comercial Sérgio Rocha acredita que pelos menos trezentos lojistas devem passar pela feira, inclusive comerciantes da Bolívia e Paraguai. "O empresário consegue aqui fazer o comparativo no mesmo local e dia".

O Governador Reinaldo Azambuja também esteve na feira e acredita que o estado tem muitos incentivos para que aumente o número de fábricas instaladas na região, principalmente por ser um mercado produtor de couro, matéria prima para a confecção de calçados.

Quem também acredita que a feira possa trazer resultados positivos é Luiz Fernando Buainain, secretário municipal de desenvolvimento econômico. Para ele, a Capital conta com um bom mercado para venda, já que a população da cidade beira um milhão de pessoas, logística para mandar mercadorias para outros lugares e incentivos, principalmente quanto as áreas de instalação das indústrias.

A feira, aberta somente para lojistas, acontece no Centro de Exposições Albano Franco até o dia 30, funcionando entre 8h e 19h.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions