A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

01/11/2013 16:53

Fim de ano e nome limpo elevam em 22% o número de famílias endividadas

Bruno Chaves
Mais de 169 mil famílias afirmaram ter contas parceladas (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Mais de 169 mil famílias afirmaram ter contas parceladas (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

O índice de famílias endividadas em Campo Grande cresceu 22% de setembro para outubro deste ano. No mês retrasado, a cidade tinha mais de 138 mil famílias que possuíam contas parceladas em crediários, carnês e cartões de créditos. No último mês, esse número subiu para 169.292 famílias.

A economista Isabella Fernandes afirma que a proximidade do fim do ano faz que com as pessoas façam novas dívidas e contribuam para o índice. "Em geral, o crédito nessa época do ano começa a ser liberado, já que parcelamentos feitos em janeiro chegam ao fim", opina.

Com o crédito liberado, as pessoas começam a se endividar novamente. Devido ao apelo comercial de datas como o Dia das Crianças e Natal, os consumidores começam a gastar com antecedência. Além de que campanhas de regularização do nome também facilitam novos parcelamentos e uma reorganização da saúde financeira, explica Isabella.

De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência das Famílias, divulgada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), o responsável pela ascensão do endividamento campo-grandense no último mês foi o popular carnê, que figurou em 40,1% das respostas das famílias endividadas.

“O carnê tem menos juros. Se você atrasa uma fatura de crédito, eles cobram taxa de despesa, multa contratual, multa por atraso e outros. Se você pagar adiantado, não ganha nada. Já os carnês não têm esse monte de coisas e se pagar adiantado ainda ganha desconto”, defende a consultora de produtos financeiros Mariane Marcelino, 21 anos.

Para a jovem, os benefícios não param por ai. Ela lembra que muitas lojas do comércio utilizam sistema de crediário próprio e ainda facilitam o parcelamento. “Dividem até em cinco vezes sem juros. Tem lojas que fazem até em 10 sem juros”, conta.

Apesar de o antigo carnê ter sido bastante utilizado pela família campo-grandense no último mês, o cartão de crédito ainda continua sendo o principal meio de compra a prazo apontado por 65% dos consumidores, revelou a pesquisa.

Acostumado a viajar com frequência durante todo o ano, o pesquisador Flábio Araújo, 43, afirma que é mais benéfico comprar as passagens de avião parceladas no cartão de crédito. “Nesse tipo de compra, a principal vantagem é que gera milhagens para outras passagens”, afirma.

Flábio conta que parcela “bastante” os bilhetes de avião pensando na família, esposa e quatro filhos, já que no fim do ano pode reverter os gastos em benefícios. “Costumo parcelar de quatro a seis vezes”, diz.

Dia das Crianças e o endividamento – A Fecomércio/MS (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso do Sul) já esperada que o índice de pessoas com contas parceladas pudesse aumentar em outubro. Isso por causa do Dia das Crianças.

“Tivemos uma das datas de maior apelo comercial, o Dia das Crianças. As famílias liberaram orçamento para poder fazer novas compras. O importante é que o indicador de inadimplência recuou”, explicou o presidente Fecomércio/MS, Edison Ferreira de Araújo.

A pesquisa apontou que em outubro o índice de famílias com contas em atraso – dentro das que estavam endividadas – era de 32,2%. No mês anterior, setembro, esse número era de 33,5%. O índice de famílias com contas em atraso caiu 1,3%. Já as que diziam que não teriam condições de pagar as dívidas caíram de 11,2% a 9,4%.

Endividamento – A pesquisa considerada famílias endividadas as que têm contas parceladas em cheques pré-datados, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimo pessoal, prestações de carro e seguros.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions