A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 26 de Abril de 2017

27/03/2017 12:58

Frigoríficos da JBS voltam a funcionar, mas produção será reduzida em 35%

Ricardo Campos Jr.
JBS retomou atividades nesta segunda, mas produção será menor (Foto: Alcides Neto / arquivo)JBS retomou atividades nesta segunda, mas produção será menor (Foto: Alcides Neto / arquivo)

As seis unidades das JBS que tiveram as atividades suspensas durante três dias na semana passada reabriram normalmente nesta segunda-feira (27). A medida foi tomada para ajustar a produção diante dos embargos impostos pelos países que compram carne brasileira após a divulgação dos resultados da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

Segundo a assessoria de imprensa da companhia, mesmo com a retomada das compras por grandes importadores, como China, Egito e Estados Unidos, a empresa irá reduzir em 35% a produção, se comprometendo a manter o emprego dos funcionários.

Em Mato Grosso do Sul, a JBS tem sete unidades que processam bovinos: duas em Campo Grande e uma em Anastácio, Cassilândia, Naviraí, Nova Andradina e Ponta Porã. Nenhuma delas foi alvo da ação policial que apura envolvimento de fiscais do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.

Seis frigoríficos foram fechados no país, sendo quatro no Paraná, uma em Santa Catarina e outra em Goiás.

Segundo o Governo Estadual, grande parte da produção em Mato Grosso do Sul é consumida no país, mas os reflexos da ação também afetaram a compra dos produtos em vários mercados e açougues. Na última sexta-feira, por exemplo, alguns dos principais supermercados de Campo Grande fizeram promoções com desconto de até 30% nas carnes de marcas investigadas na operação.

O setor reclama da maneira como a corporação divulgou os resultados, indiretamente levando a população a crer que toda a carne produzida no país estava sujeita a algum risco para quem a consumisse.

Consequências – Apesar de vários países terem derrubado os embargos à carne brasileira, a União Europeia continua devolvendo lotes do produto. O conglomerado irá enviar representantes ao país para verificar os processos de produção e só então irá decidir se retoma as importações.

Inicialmente o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, o Brasil poderá ter um prejuízo de até US$ 1,5 bilhão por ano com os desdobramentos da operação Carne Fraca, da PF (Polícia Federal). Segundo ele, a média diária de exportação brasileira de carnes é de US$ 63 milhões e ontem (21) ficou em US$ 74 mil.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions