A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

16/04/2013 08:56

Governo amplia o teto do consignado a 100% e permite cartão de crédito

Aline dos Santos

O governo do Estado promoveu mudanças no teto do crédito consignado do funcionalismo público. Os servidores foram autorizados a utilizar cartão de crédito e o novo texto também amplia limite nas tomadas de empréstimos com desconto em folha.

De acordo com o decreto 13.599, o valor comprometido com a utilização do cartão de crédito será de 10% da remuneração bruta do servidor com desconto em folha. Também foi revogado artigo do decreto 12.196, de 3 de agosto de 2009, que estabelecia que “não será efetuado desconto de consignação facultativa quando a soma desta com as compulsórias e as preferenciais exceder a setenta por cento da remuneração bruta do servidor”.

Na prática, o servidor que até então podia emprestar 70% da remuneração bruta, pode comprometer todo o salário. O decreto 12.196 dispõe sobre a averbação de consignações em folha de pagamento de servidores públicos civis e militares da administração direta, autarquias, fundações e empresas públicas do Poder Executivo.

As mudanças foram publicadas no Diário Oficial de ontem, por meio de decreto da governadora em exercício Simone Tebet (PMDB). Conforme a assessoria do governo, caso a soma mensal das consignações compulsórias e facultativas exceda essa remuneração bruta mensal do servidor, serão suspensos os descontos das facultativas.

São consideradas consignações compulsórias descontos de previdência, pensão alimentícia judicial, imposto de renda retido na fonte. Já as preferenciais são aquelas relativas à prestação de serviços médicos, hospitalares, odontológicos, laboratoriais, compra de medicamentos e pagamento de franquias com órteses e próteses vinculadas a planos de saúde oficiais contratadas por meio do Cartão Benefício.

As facultativas tratam de contribuição para planos de previdência complementar e renda mensal, prêmios de seguros de vida cobertos pelos consignatários, pagamento de parcelas mensais correspondentes a fornecimento de bens e serviços decorrentes de convênios mantidos por sindicatos ou associações de classe com fornecedores, pensão alimentícia voluntária, mensalidades instituídas para custeio de clubes de servidores públicos do Poder Executivo e recreativos.

Além de amortização de empréstimos ou financiamentos concedidos por instituições financeiras, por operadoras de cartões de crédito e por operadoras de cartões na modalidade de adiantamento salarial, na forma de compras.

Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


Muito Bom Governador!
Começou a entender que o povo tem direito de fazer oque bem quiser com o seus respectivos salários.
Continua assim que vocês chega bem em 2014!!!
 
kelvin hector em 29/04/2013 01:08:40
Acho certo o que foi feito.Somos todos adultos e devemos saber o que estamos fazendo, o errado é dizer,voce só pode isso ou aquilo,neste valor,nesta Instituição.Só porque te dão x de crédito vc é obrigado a usar?Para que seja uma solução, o tomador deve estar consciente.


 
anamaria vieira de sousa dias em 16/04/2013 17:34:16
Permitir que as pessoas emprestam 100% da renda não vai faze-los mais felizes, só pensam que são...
Mas é o contrário, pois emprestimo não é renda, embora que a grande maioria, sem fazer contas, não percebe.
Quem parcela todo, empresta tanto, depois um tempo destina parcela significante da renda ao pagamento de juros. O que quer dizer que sobra menos para despesas, e não mais. Quem tem pouca renda e quer isso ou aquilo, em vez de correr para o banco, deveria exercer um pouco (ou muito) de paciencia, e poupar, e depois comprar a vista.
Já estive la, e acredita: funciona. De repente sobra bem mais para coisas legais. O povo tem que aprender fugir de emprestimos, pois afinal, a conta tem que ser pago do mesmo jeito, mais cedo ou mais tarde. E sem ou (emprestando) com juros...
 
Marcos da Silva em 16/04/2013 14:52:00
Vale tudo,vale que vier vale o que quiser ,assopra agora..depois que bateu!!
 
Gerson Leal em 16/04/2013 12:59:53
Nossa o que que o discrédito e medo de perder muito feio em 2014 não faz...
Tem que correr Italiano, tem que correr pra não perder...
adoça a boca do povo, quem sabe vira.
 
Esdras Carvalho em 16/04/2013 10:43:34
Agora sim.............os servidores nunca mais vai sair do burraco.
 
Marcio Alves Benites em 16/04/2013 10:32:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions