ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  22    CAMPO GRANDE 31º

Economia

Governo decidirá sobre empréstimo consignado do INSS até a próxima terça

Afirmação é do ministro da Casa Civil, Rui Costa, em entrevista a EBC durante a tarde desta quarta-feira (22)

Marcelo Brandão, da Agência Brasil | 22/03/2023 20:50
Beneficiário conta cédulas de R$ 100. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Beneficiário conta cédulas de R$ 100. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, deu um prazo até a próxima terça-feira (28) para a definição do novo teto dos juros do crédito consignado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Em entrevista aos veículos da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), na noite desta quarta-feira (22), ele detalhou a agenda de reuniões nos próximos dias, quando serão feitas tentativas de fechar um valor para o teto.Campo Grande News - Conteúdo de VerdadeCampo Grande News - Conteúdo de Verdade

“Na terça-feira [28], nós temos uma nova reunião do Conselho [de Desenvolvimento Econômico e Social]. Até a sexta-feira [24], nós tentaremos um consenso de uma nova tarifa. Caso contrário, na segunda-feira [27] teremos uma reunião governamental para definir qual é a nossa proposta para submeter ao conselho na terça. Portanto, terça teremos definido o novo patamar o consignado”.

Histórico - Na semana passada, o CNPS (Conselho Nacional da Previdência Social) reduziu de 2,14% para 1,7% ao mês o teto dos juros sobre o crédito consignado a aposentados e pensionistas do INSS.

O órgão também diminuiu de 3,06% para 2,62% ao mês o limite da taxa para o cartão de crédito consignado.

No fim da mesma semana, vários bancos privados e públicos, inclusive a Caixa e o Banco do Brasil, suspenderam a oferta de crédito consignado do INSS.

Segundo o Banco Central, apenas quatro instituições financeiras cobravam taxas menores que 1,7% ao mês: Sicoob (1,68%), Cetelem (1,65%), BRB (1,63%) e CCB Brasil (1,31%).

De acordo com o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Sidney Oliveira, o governo e os bancos precisam sair do impasse e chegar a um patamar que atenda aos anseios da equipe econômica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também permita a viabilidade econômica de crédito consignado.

Nos siga no Google Notícias