A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

06/03/2015 15:16

Governo estuda mudanças no Programa Minha Casa Melhor

Yara Aquino, da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (6) que o Programa Minha Casa Melhor passa por revisão, por causa da taxa de inadimplência. Segundo Dilma, o governo avalia mudanças no modelo do programa, que poderá ser incluído – de forma mais simples – no Minha Casa, Minha Vida. No fim de fevereiro, a Caixa Econômica Federal confirmou a suspensão do Minha Casa Melhor para novos contratos.

“Estamos revendo, porque, ao contrário do Minha Casa, Minha Vida, que tem baixa inadimplência, o Minha Casa Melhor começou com inadimplência. Então, estamos avaliando incluí-lo no Minha Casa, Minha Vida, de forma mais simples. Esse é um processo de avaliação”, informou a presidenta, após participar da entrega de unidades habitacionais do Minha Casa Minha, Minha Vida em Araguari, Minas Gerais.

Dilma Rousseff não descartou a possibilidade de retorno do Minha Casa Melhor ainda este ano. “Em 2011, fizemos ajustes [no Minha Casa, Minha Vida], o que nos obrigou a começar a contratar apenas no fim do ano. Muito provavelmente vai ocorrer. A gente vai fazendo ajustes, porque tem de discutir, construir um consenso em torno destes três anos futuros”, completou a presidenta.

Lançado em 2013, o programa facilita a aquisição de móveis e eletrodomésticos para famílias inscritas no Minha Casa, Minha Vida. A Caixa oferece a cada beneficiário do programa habitacional crédito subsidiado de até R$ 5 mil, a juros de 5% ao ano e prazo de 48 meses para pagamento. A suspensão do programa não representa mudanças para beneficiários com contratos em vigor.

Golpista do Minha Casa, Minha Vida já fez 27 vítimas em Campo Grande
O número de pessoas que caíram no golpe do programa Minha Casa, Minha Vida já chega a 27 em Campo Grande. O acusado Cícero Vicente Lescano de Oliveir...
BC mantém juros básicos em 6,5% ao ano pela quarta vez seguida
Pela quarta vez seguida, o BC (Banco Central) não alterou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Copom (Comitê de Política Monetária) mante...
Dólar opera em queda e fecha cotado a R$ 4,12 para venda
A cotação do dólar fechou o pregão desta quarta-feira (19) em baixa de 0,43%, cotada a R$ 4,1242 para venda. O Banco Central manteve a política tradi...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions