A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

26/06/2017 11:33

IBGE vai acompanhar 2,2 mil famílias em MS para monitorar gastos

Ricardo Campos Jr.
Pesquisadores acompanharão família durante nove dias para coletar dados (Foto: André Bittar)Pesquisadores acompanharão família durante nove dias para coletar dados (Foto: André Bittar)

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) começa a levantar a partir desta segunda-feira (26) o perfil de consumo das famílias brasileiras para saber quais são os maiores e menores gastos da população. Em Mato Grosso do Sul, a amostra compreende 2.020 domicílios em 57 cidades.

Sylvia Martínez Assad de Oliveira, coordenadora estadual da POF (Pesquisa de Orçamento Familiar) explica que os agentes de coleta acompanharão durante nove dias as famílias, escolhidas aleatoriamente do banco de dados do órgão. Nesse período, elas terão que anotar em fichas todos os gastos, seja com serviços públicos, sejam impostos e alimentação.

Dessa forma, segundo ela, será possível constatar com o que as pessoas mais estão gastando. No último levantamento, feito em 2009, por exemplo, apontou que Mato Grosso do Sul tinha o quarto maior montante de despesas com impostos e o oitavo menor com alimentação.

Como existem épocas do ano em que certos tipos de produtos são mais comprados que outros, como os chocolates na Páscoa ou certos tipos de carnes no fim de ano, o estudo vai até julho de 2018 para acompanhar a todas essas sazonalidades.

Além disso, a pesquisa servirá de base para outros levantamentos feitos pelo IBGE, como a relação dos produtos da cesta básica usada nos cálculos da inflação.

O dinheiro para a realização da POF vem de instituições internacionais, como a ONU (Organização das Nações Unidas), segundo o superintendente do Instituto em Mato Grosso do Sul, Mário Alexandre de Pimba Frazetto. Isso acontece porque este levantamento também é feito em outros países.

Domicílios são escolhidos aleatoriamente a partir das residências cadastradas em banco de dados do IBGE (Foto: André Bittar)Domicílios são escolhidos aleatoriamente a partir das residências cadastradas em banco de dados do IBGE (Foto: André Bittar)

Cuidado - A pesquisa de campo será realizada por 21 agentes de coleta. Todos eles andam identificados com a camiseta do IBGE, um crachá e o material da pesquisa.

Ainda assim, para evitar a ação de criminosos que aproveitam a época em que o órgão realiza pesquisas para cometer golpes e assaltos, as famílias podem confirmar a identificação do servidor pelo número 3320-4725 ou pelo site.

Todos os dados coletados e a identificação dos participantes terão sigilo, sendo usados apenas nos cálculos generalizados.

Os agentes visitarão residências nas cidades de Rochedo, Sidrolândia, Ribas do Rio Pardo, Bandeirantes, Camapuã, Aquidauana, Anastácio, Miranda, Nioaque, Corumbá, Ladário, Coxim, Alcinópolis, Costa Rica, Pedro Gomes, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, São Gabriel do Oeste, Sonora, Dourados, Caarapó, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Itaporã, Maracaju, Jardim, Bela Vista, Bonito, Guia Lopes da Laguna, Naviraí, Eldorado, Itaquiraí, Japorã, Juti, Mundo Novo, Nova Andradina, Angélica, Batayporã, Ivinhema, Taquarussu, Paranaíba, Aparecida do Taboado, Cassilândia, Chapadão do Sul, Inocência, Paraíso das Águas, Ponta Porã, Amambai, Coronel Sapucaia, Laguna Carapã, Sete Quedas, Tacuru, Três Lagoas, Água Clara, Bataguassu e Selvíria.

Classe média gasta mais que rico em produtos e serviços
As famílias da chamada nova classe média (classe C), estrato de 95 milhões de pessoas, com 31 milhões emergentes na última década, gastam mais de sua...
Pobres gastam mais com aluguel que ricos, diz pesquisa
O gasto com aluguel é relativamente mais alto entre as famílias mais pobres do que entre os mais ricos no Brasil. Segundo estudo do Instituto de Pesq...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions