A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/02/2011 18:41

Inflação não deve fugir da meta oficial de 4,5%, estimam analistas do mercado

Marli Moreira, da Agência Brasil

A pressão inflacionária persistirá ao longo deste ano, mas sem riscos de “choques adversos”. A previsão é do analista econômico da empresa de consultoria Tendências, Thiago Curado. Ele estima que a taxa de inflação não deva fugir muito da meta oficial de 4,5% . O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na avaliação de Curado, deve ficar em torno de 5,9%.

O economista observou que a presidenta Dilma Rousseff assumiu o controle do país sob um ambiente em que o comportamento dos preços estava em alta por causa da melhoria de renda dos trabalhadores e também pela influência da demanda ainda aquecida no mercado internacional dos produtos alimentícios em meio à quebra de safras como a registrada na Índia.

“Países emergentes como o Brasil e a China, e os desenvolvidos, ajudaram a elevar as cotações das commodities no mundo inteiro. Há indicadores da [Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação] FAO apontando recordes históricos no caso do trigo e da soja”, disse, complementando que “de 2010 até hoje, a taxa de crescimento é muito forte”.

Além disso, o analista alertou que tem ocorrido um movimento especulativo associado ao excesso de liquidez no mercado financeiro provocado pela crise financeira de 2008, iniciada nos Estados Unidos.”O preço é definido no mercado global”.

Na opinião de Curado, o Brasil conseguirá manter o controle inflacionário por meio das medidas macroprudenciais, entre as quais o ajuste fiscal anunciado com o corte das despesas públicas em R$ 50 bilhões. O fato de o teto para o salário mínimo ter sido aprovado nos R$ 545, segundo ele, também ajuda nesse processo.

Já o economista Keyler Carvalho da Rocha, professor do Laboratório de Finanças da Fundação Instituto de Administração (FIA), afirmou que a inflação vem subindo nos diversos países mundo por causa das cotações em alta das commodities, e que “o governo tem tentando minimizar os efeitos com medidas como o aumento do depósito compulsório, a elevação da taxa de juros e a redução de despesas”, além de segurar o valor do salário mínimo.

Ele acredita que “essas ferramentas” resultarão em êxito. Pelas projeções dele, ainda no primeiro semestre, a taxa de inflação atingirá o pico, na casa dos 6%, declinando em seguida para 5,5% e depois para 5%. Mas isso, conforme assinalou, desde que não ocorram “surpresas”, como a crise política no Oriente Médio, que derrubou o presidente do Egito, Hosni Mubarak, no último dia 11.

Ainda em relação à política interna brasileira, o economista criticou o comportamento dos congressistas que elevaram os próprios salários em cerca de 60%, o que, segundo ele, comprime o Orçamento público.”Os deputados e senadores não têm a mínima noção do quadro macroeconômico”.

Rocha disse ainda que se o governo tiver “um superavit [primário] maior, ele vai poder reduzir a sua dívida e reduzir os juros, criando um efeito positivo [na economia]”. Na previsão do especialista em finanças, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), prevista para os dias 1º e 2 de março, a atual taxa básica de juros, a Selic, deverá subir dos atuais 11,25% para 11,75%, que é a média de elevação esperada pelos analistas ouvidos pelo Banco Central.

Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions