A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018

09/01/2013 08:17

Lojas dão prazo, mas pais preferem pagar à vista material escolar

Viviane Oliveira
O movimento nas lojas já começou. (Foto: Rodrigo Pazinato)O movimento nas lojas já começou. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Já começou o movimento para compra de material escolar nas papelarias de Campo Grande. Preço baixo, variedade e qualidade são três requisitos básicos que chamam a atenção dos consumidores na hora de escolher os produtos. Para este ano, a maioria dos pais deixaram de lado o parcelamento no cartão de crédito para ganhar desconto na compra à vista.

De acordo com o proprietário de uma papelaria na rua Dom Aquino, Jorge Fernandes, o movimento começou no mês passado, quando muitos aproveitaram o 13º para antecipar a compra do material escolar. Em relação ao ano passado no mesmo período as vendas aumentaram. 

Quanto aos preços, o comerciante afirma que os valores não aumentaram muito, porém na loja os produtos variam até 50% de diferença de preços. “Se pesquisar o cliente tem várias opções, tem produtos bons com preços mais acessíveis e outros, por exemplo, como de personagens com valor mais alto”. 

Pesquisando e comparando os preços é o que normalmente a secretária Andréia Garcia Ribeiro, 33 anos, costuma fazer para economizar no começo do ano letivo. A lista de material do filho, Antônio, que vai para a 3ª série em uma escola particular não é uma das menores, mas a mãe afirma que faz de tudo para comprar todo material.

“Eu compro tudo porque é para o ano todo, depois dessa compra não preciso me preocupar com material escolar. Há alguns anos a lista já foi maior, este ano o colégio deu uma enxugada nos objetos escolares”, afirma.

Entre os itens comprados pela maioria dos pais estão cadernos, lápis, apontador, borracha e mochila. O militar Fernando Medeiros, 43 anos, estava com uma cesta cheia de materiais escolares para os filhos Rodrigo, de 13 anos, e Bruno de 9 anos. Os dois estudam em escola particular. “Antes de parar para comprar pesquisei os preços em 4 papelarias”.

Andreia Garcia com o filho Antônio. (Foto: Rodrigo Pazinato)Andreia Garcia com o filho Antônio. (Foto: Rodrigo Pazinato)

 Para conseguir um desconto bom, o militar optou para fazer o pagamento à vista.

A mesma atitude foi adotada pela auxiliar de cozinha, Nislene Martins, de 31 anos. Em outra loja na mesma rua, a consumidora escolhia material para ela e o filho, Eglis, de 9 anos. “Como nós estudamos em escola pública ganhamos um kit escolar no começo do ano. Para economizar compro apenas o que não vem no kit”, finaliza.

Fiscalização - Nesta semana, a AEM/MS (Agência Estadual de Metrologia de Mato Grosso do Sul), órgão delegado do Inmetro, realiza em Campo Grande a Operação Especial “Volta às Aulas” para fiscalizar materiais escolares.

Segundo a agência, são analisados os artigos que podem constar na lista de materiais escolares. Os ficais verificam se a quantidade indicada é a mesma que consta dentro da embalagem.

A análise de alguns produtos é feita no próprio estabelecimento em pré-exame. Já nos outros artigos são atestados peso e metragem, em testes no laboratório da Agência.

O consumidor pode ficar atento e também analisar alguns itens, como por exemplo, um caderno através da contagem das folhas. Quem tiver alguma dúvida ou suspeitar de irregularidade pode entrar em contato com a ouvidoria da AEM/MS pelo número 0800 67 52 20.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions