A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

06/10/2013 08:13

Mesmo com "boom" imobiliário setor de alugueis resiste equilibrado

Luciana Brazil
Mesmo com boom imobiliário setor de alugueis resiste equilibrado

Apesar do “boom” imobiliário em Campo Grande, que tem ofertado cada vez mais novas construções, o mercado de imóveis para alugar continua equilibrado na Capital. Segundo especialistas, o setor permanece estável há quase 10 anos.

Para o presidente do Secovi (Sindicato das Empresas de Habitação) Marcos Augusto Netto, a estabilidade na oferta e procura de imóveis para alugar é resultado dos benefícios conquistados com a Lei do Inquilinato de 1991, que mudou regras e estabeleceu exigências.

“É positivo esse equilíbrio. Antes da lei, os proprietários deixavam de alugar porque os inquilinos faziam o que queriam nos imóveis. Com a lei e com as regras o equilíbrio se estabeleceu. Proprietários e inquilinos voltaram a fazer negócio”.

Além da mudança na legislação, a estabilidade dos preços na economia fez com que o setor se consolidasse, segundo avaliação do presidente do Creci/MS (Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul), Delson José de Souza.

“Com a economia estável não há muita alteração de preço. Então, o inquilino sabe quanto irá pagar durante o contrato, até porque o reajuste é feito de acordo com o IGPM (Índice Geral de Preços do Mercado), que não está muito alto. Não era assim na época de grandes inflações. Os valores subiam muito e o inquilino não conseguia pagar, o que gerava grande inadimplência”.

Segundo Delson, há alguns anos, os reajustes chegavam a quase 80% em alguns casos. “ Agora com pouca alteração na economia, a inadimplência é baixa”.

Alguns períodos do ano apresentam demandas mais acentuadas na procura por imóveis para alugar, apesar da estabildiade do setor.  “Em janeiro, dezembro, junho, julho, períodos de férias, períodos de mudança de bairro ou cidade, o setor acaba ficando mais aquecido”, ressalta Delson.

Casas e apartamentos novos que estão à venda não conseguiram afetar o mercado de aluguel na Capital. O programa do governo Federal Minha Casa, Minha Vida, foi responsável pelo "boom" imobiliário em Campo Grande, segundo Delson.

As casas ainda são preferência para locação, em comparação com os apartamentos. “As residências são as mais procuradas. Muita gente compra apartamento na planta e vai pagando o aluguel de uma casa até que a obra fique pronta”, disse o presidente do Creci.

Os altos preços dos condomínios prediais fazem com que a procura de apartamentos para alugar seja menor do que a das casas.

A fisioterapeuta Silvana Martins, 37 anos, mora de aluguel desde que saiu da casa dos pais, há 10 anos. “Eu optei por alugar já que não tinha uma renda boa para financiar e, além disso, não achei um imóvel que estivesse dentro do meu bolso”. Ela conta que prefere pagar aluguel, ao invés de investir em algo que não faz parte do seu sonho, e enquanto isso garante que está fazendo uma pequena poupança.

“Sei que o aluguel é um dinheiro jogado fora, mas não vou investir agora em um apartamento pequeno. Quero uma casa grande, como sempre sonhei”. Em 10 anos, a fisioterapeuta já poderia ter juntado um bom dinheiro com o valor pago no aluguel, que varia entre R$ 800 e R$ 1.200 durante esses 10 anos.

“Mas quem não tem dinheiro é assim. Tem que ir levando. Eu estou fazendo uma poupança e prefiro pagar aluguel, morando em um lugar que gosto e tive sorte de encontrar com um preço ótimo. É melhor assim do que financiar um ‘apertamento’ e ficar no fim do mundo”.



Sou corretor de imoveis desde 1998, atuando tanto na locacao quanto na venda e contudo vejo que o mercado de hoje esta ocilando nas locacoes mas com melhorante para quem quer alugar... tanto em valores como ofertas clientes procure sempre priorizar condicoes importantes para locar seu imovel pesquise bastante, o mercado tem muita coisa boa pra vc.
Para o presidente do Creci um ponto vista, procure ouvir as pessoas que tem interesse em nossos Conselho que buscam realizar oportunidades no mercado imobiliario para os profissionais habilitados e credenciados desempenhar com sucesso o atendimento de satisfacao dos clientes.
 
Eduardo dos Anjos em 06/10/2013 15:51:42
Não creio que esteja assim tão equilibrado, se assim fosse não teriam tantas placas de aluga-se ou vende-se em cada quadra que eu passo pelas ruas.Algumas delas com mais de anos.É só contar e verá que surpreende a quantidade delas.Isso já é indicativo de que a procura caiu bastante, devido principalmente a financiamentos imobiliários para casas novas que tem parcelas até menores do que um aluguel.Só espero que não aconteça o mesmo que ocorreu nos Estados Unidos.
 
Marcia França em 06/10/2013 15:16:30
Não tem lógica um imóvel comprado há 4 anos, valer hoje o triplo do valor venal daquela época. A explicação a isso é o programa minha Política minha vida do governo federal. A facilidade na obtenção de crédito, a análise de cadastro pouco confiável e interesseira dos correspondentes da CEF, está gerando uma grande inadimplência desses beneficiários. O governo financia o comprador e o construtor, cadê então, a riqueza e , sobretudo, a sustentabilidade desse negócio. A Veja da semana passada para citar tal inadimplência teve que acionar a CGU. Eu não estou gostando desse negócio pois é o meu dinheiro que vai acabar sendo usado nessa política moribunda.
 
Roger Carlos da Silva em 06/10/2013 13:30:14
........penso que os corretores de imoveis e imobiliárias, deveriam ser mais inteligentes....
e criar novos critérios na hora de alugar seus respc.imóves!!!!!
Avaliar cada caso de forma diferente, pois a burocracia é muito grande e impede algumas pessoas de alugar uma casa!!!
poxa pedem dois fiadores com imoveis quitados em seus respc. nomes e ainda comprovação de 3 vezes o valor do aluguel.....
Cara pra algumas pessoas isso é difícil....tudo bem que hj em dia vivemos tempos ruins, quanto a confiança, índole etc....mas cada caso é um caso!!!!!!
Por exemplo uma pessoa que trabalha registrada(carteira assinada), deveria se criar a seguinte situação: ´´DESCONTO DIRETO EM FOLHA´´ é uma saída(inteligente)
Esta maquiagem de que o mercado imobi....esta bem etc, não é verdade............
 
ariel marcus em 06/10/2013 09:30:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions