A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018

04/12/2008 14:12

Mineradoras garantem manutenção da operação em MS

Redação

Representantes das mineradoras Rio Tinto e MMX, ambas instaladas em Corumbá, garantiram hoje  ao presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), Sérgio Longen, a manutenção da operação em Mato Grosso do Sul, apesar da crise econômica mundial.

A Rio Tinto assegurou a manutenção do seu plano de expansão, ao custo de Us$ 2,5 bilhões, enquanto que a MMX garantiu que a suspensão das suas atividades durará no máximo quatro meses.

O gerente-administrativo da Rio Tinto em Corumbá, Nilton Guimarães de Oliveira, informou que os funcionários entrarão em férias coletivas no próximo dia 22 de dezembro, com retorno no dia 21 de janeiro do próximo ano, dentro de uma programação pré-estabelecida.

Ele garantiu que manutenção do projeto de expansão da mina de minério de ferro em Corumbá vai aumentar a capacidade anual em mais de seis vezes, com a nova produção iniciando no quarto trimestre de 2010.

Também está mantida a construção dos dois novos portos juntamente com a infra-estrutura necessária para conectar a cadeia de fornecimento nos 2,5 mil quilômetros da hidrovia, empregando cerca de 2 mil pessoas até 2010.

Evandro Barbosa, gerente de Relações Institucionais da MMX em Corumbá, explicou que a empresa adotou a suspensão temporária do contrato de trabalho com os funcionários, mantendo os vínculos empregatícios, exatamente porque vai retomar suas atividades.

O gerente de Relações Institucionais da MMX destacou que essas medidas comprovam que a empresa pretende continuar operando em Mato Grosso do Sul.

Para o presidente da Fiems, as posições das duas mineradoras chegam em boa hora, pois ajudam a tranqüilizar o setor produtivo do Estado.

Sérgio Longen ainda acrescentou que a Fiems pode ajudar a MMX na prospecção de novos negócios na China, já que a empresa acaba de fechar contrato para a exportação de 50 mil toneladas de minério para aquele país.

Loja terá que pagar indenização por colocar nome de consumidor no SPC e Serasa
Os desembargadores da 5ª Câmara Cível negaram recurso da rede de varejo Casas Bahia contra sentença que a condenou ao pagamento de R$ 7 mil por danos...
Justiça condena empresa telefônica por bloquear linha de cliente
Os desembargadores da 3ª Câmara Cível negaram recurso da companhia telefônica Tim, condenada em primeiro grau a pagar R$ 8 mil a um morador de Três L...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions