A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

09/01/2009 12:10

Ministro e missão boliviana vão discutir redução do gás

Redação

Ameaçado pelo anúncio de diminuição da compra do gás natural boliviano, Mato Grosso do Sul aguarda hoje o resultado de uma reunião entre o Ministro de Minas e Energias, Edson Lobão, e uma missão boliviana, formada por três ministros.

Conforme o governador André Puccinelli (PMDB), que conversou com Lobão por telefone durante solenidade na Base Aérea, o resultado do encontro dará ao governo condições de "saber o que fazer".

O Estado arrecada ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços)proporcional ao volume de gás repassado ao país, portanto, poderá ter prejuízo de R$ 35 milhões caso o volume caia de 31 para 19 milhões de metros cúbicos.

O governador também contesta informação da Petrobras, de que a redução foi causada porque as termelétricas não precisarão do gás. "Se desligar cinco, seis termelétricas, serão 3 milhões de metros cúbicos a menos. 31 milhões de metros cúbicos menos 3 milhões dá 28. Porque então [diminuir] para 19 milhões", reclama Puccinelli.

O governador pediu audiência com a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, para propor que o gás excedente seja repassado para empresas do Estado, MMX Metálicos S.A, a Rio Tinto e Votorantin Papel e Celulose. Conforme Puccinelli, ainda não houve redução no volume do gás.

Lobão

Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions