A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

23/02/2011 19:00

MS perdeu Copa, mas vai fornecer toneladas de produtos à competição

Nadyenka Castro

Laticínio de Caracol foi o único selecionado para o evento

O Laticínio Caracolac, localizado em Caracol, a 283 quilômetros de Campo Grande, região de fronteira com o Paraguai, será o único do País a fornecer leite e seus derivados para hotéis e restaurantes que irão receber as seleções de futebol durante a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil.

A empresa foi a única selecionada para atender toda a demanda, que na previsão inicial, já ultrapassa 400 mil litros em produtos. Detalhe: todo o material é da agricultura familiar, que chega até o laticínio através da Acodecol (Associação Comunitária de Desenvolvimento Artístico e Cultural de Caracol), responsável pela implantação Usina de Beneficiamento do Leite/ Laticínio Caracolac, em 2007, e também pela administração.

Os pequenos agricultores – total de 600 famílias, são associados à entidade, que vende a produção deles para o laticínio. “O produtor consegue ter a garantia de que vai vender o que produz”, diz a vice-presidente da Associação, Liziane Bonfim da Silva.

Ela explica que o processo que inseriu Mato Grosso do Sul na Copa do Mundo começou em outubro do ano passado quando o governo federal, através do Ministério do Desenvolvimento Agrário e do Ministério do Turismo, lançou a chamada pública exclusiva para agricultura familiar para fornecimento de produtos a serem utilizados no evento esportivo de caráter mundial.

Um projeto foi encaminhado ao governo federal e em dezembro do ano passado a Acodecol e o laticínio, que trabalham em conjunto, receberam a primeira boa notícia: o Caracolacac havia sido aprovado. No mês seguinte, a confirmação: a União homologou o laticínio como o único a fornecer produtos lácteos para todos os hotéis e restaurantes que irão receber as comitivas na Copa do Mundo.

“É uma vitória muito grande”, resume Liziane, sobre a qualificação. “A Acodecol existe há 12 anos. Foi fundada com o intuito de transformar Caracol. Há quatro anos o laticínio trabalha só com produtos da agricultura familiar”, afirma a vice-presidente da Associação.

Produtos-O cálculo inicial do governo é que o laticínio terá que fornecer 200 litros de leite, 70 mil litros de iorgute, 100 mil litros de bebida láctea, 50 mil litros de achocolatado e 50 mil quilos de queijo tipo mussarela.

Essas quantidades são apenas para Brasília e Cuiabá. Mas como o fornecimento será para todos os municípios que vão sediar o evento, não está definida a quantidade exata. “Vai aumentar muito, muito”, resume Liziane.

Conforme ela, o preço vendido na chamada pública, que funciona como uma licitação, foi o de mercado: R$ 1,30 o leite; R$ 2 a bebida láctea; R$ 2,50 o achocolatado; R$ 15,00 o quilo da mussarela e R$ 4 o iorgute.

Investimento- Atualmente, a produção da empresa ainda é pequena perto do montante que será produzido daqui a três anos. Só para se ter um exemplo disso, hoje são industrializados cinco mil litros de leite diariamente. Os produtos produzidos lá são vendidos na região. “A Copa é em 2014. A gente tem um tempo para se preparar”, declara Liziane.

Para dar conta do compromisso assumido, o Caracolac já comprou R$ 200 mil em equipamentos, dinheiro conseguido através de emenda do senador Waldemir Moka (PMDB), que na época era deputado federal.

O espaço do laticínio será ampliado, mais pessoas serão treinadas e contratadas e haverá ainda um trabalho de conscientização com os produtores.

A empresa conta também com apoio técnico do Sebrae e do governo do Estado, que irá ajudar na logística de fornecimento do material e na fomentação da bacia leiteira da região.

Depois da Copa- Diante de todo o investimento para a Copa do Mundo, fica a pergunta: e depois? Liziane é rápida ao responder: “Marketing”. “A Copa é o grande marketing”.

Ela explica que o governo federal já mandou produzir rótulos que identificam os produtos como selecionados para o evento e que desde o início desta semana os meios de comunicação da região já têm divulgado a conquista de Caracol.

Por causa disso, o consumo dos produtos Caracolac já aumentou, conforme Liziane, e a expectativa é de que os números mudem todos os dias. “O Brasil inteiro vai conhecer nosso produto. A gente tem convicção de que a nossa produção vai ser consumida”, afirma.

Para ela, a participação na Copa do Mundo vai fazer com que muita gente olhe a marca nas gôndolas dos supermercados e reconheça o alimento. “Mato Grosso do Sul vai conhecer e reconhecer o produto. Ele vai preferir o Caracolac”, comemora.

Procon da Capital abre campanha para orientar comércio e consumidor no Natal
O Procon (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) de Campo Grande dá início nesta segunda-feira (18) a uma semana de orientação e atendimen...
Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...


Tudo bem... uma empresa de MS vai faturar.
Apenas uma empresa (que digasse de passagem é uma cooperativa, mas não sabemos de fato quem realmente lucra com esta iniciativa).
E mais o que ganhamos com esta copa aqui no Brasil?
 
Jorge Mateus em 11/03/2011 04:56:46
Um grande exemplo de empreendedorismo, que com certeza, servirá para que pessoas de caracol, minha terra natal, tenham essa conciência de que, basta quer!!!
 
Edil Godoy em 24/02/2011 09:29:11
Prêmio de consolação e vender queijo?
Milhares de empregos deixaram de ser gerados, milhões deixaram de migrar para MS.
Incompetência não tem desculpa!
 
Márcio Santos em 24/02/2011 08:51:35
Engraçado, por estes valores aqui anunciados nao precisaria mandar pra ninguem nao, acredito que por estes valores nos do estado consumiria estes produtinhos aí, porque este preço pra estes caras e pra nos um absurdo de caro, disse bem um colega, sera que o Dr. Ricardo Teixeira nao esta por taz levando vantagens nisto??????
 
Gerson Pereira em 24/02/2011 08:49:51
Entusiasmo, perseverança, credibilidade e outros ingredientes construtivos são a receita desse resultado tão significativo para a comunidade Caracolense .
Parabéns aos dirigentes da Acodecol ,Caracolac seus dirigentes , colaboradores e fornecedores
Abraços .
 
Carlos F. Araujo - Cachoeira do Sul , RS em 24/02/2011 08:42:18
Sergio, preste atencao na materia, preco queijo mussarela 15,00 o kilo, ok
 
Antonio Nunes em 24/02/2011 08:15:27
Na verdade o preço da mussarela é 1,50 por fatia, entendeu.
 
adir mainardes em 24/02/2011 08:13:22
Preciso saber, sendo Caracolac de selo SIE qual a estratégia para exportat os produtos para outros estados!!
 
Pedro Guerbas Filho em 24/02/2011 08:01:24
Olha só e nós estamos pagando o queijo tipo mussarela no mercado mais que R$ 20,00 o quilo. com esse preço nao precisa de copa do mundo para vender. só colocar no mercado a esse preço nao sobra nada. BRASILLLLLLLL
 
gilson alves em 24/02/2011 07:41:46
Cooperativa é uma associação autônoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio de uma empresa de propriedade coletiva e democraticamente gerida. As cooperativas baseiam-se em valores de ajuda mútua e responsabilidade, democracia, igualdade, equidade e solidariedade. Na tradição dos seus fundadores, os membros das cooperativas acreditam nos valores éticos da honestidade, transparência, responsabilidade social e preocupação pelo seu semelhante.

Com esta definição pergunto:
Porque nossos governos Estadual e Municipal não insentivam este tipo de Associação??
Grupos estrangeiros, e outros, aqui se instalam com todas as benécias possíveis, para depois pagarem salários de fome aos nosso trabalhadores, e levando todas as divisas auferidas para suas origens, deixando assim nosso Estado cada vez mais dependente?
Temos bons administradores, temos muitos produtores, bons industriais, mas com o pouco insentivo que recebem, jamis poderão ser competitivos.
Se nosso Estado Fosse uma grande Cooperativa, certamente nosso futuro seria outro.
Temos tantos exemplos bons de cooperativas bem geridas, que hj competem lado a lado com grandes grupos econômicos.
Quando se estuda cooperativismo aflora o facínio pelo "vamos nos dar as mãos e caminhar juntos"
Pense nesta ideia.
Temos como exemplo neste momento a Cooperativa de Leite de Caracol, que certamente deve ter competido com muitos outros grupos, mas que com sua determinação e boa gestão é vencedora de um contrato milionário.
 
José Luiz Kreutz em 24/02/2011 07:40:57
Parabens população Caracolense por essa conquista, e que todos nos sulmatogrossenses estaremos na copa torcendo pelo Brasil e por Caracolac.
Quando existe pessoas capacitadas e reponsável transformam o lugar onde suas riquesas transformam em ouro,trazendo beneficios a toda a populaçao .
Parabens Liziane e sua equipe, sucessos!!!!!
 
jose tomaz de macedo em 24/02/2011 07:38:34
Vixe. A copa é em 2014, e tres anos antes ja negociam o valor dos produtos. Cuidados produtores, tudo aumenta em tres anos. Sera que em 2014, vale a pena vender pelo preço de 2011?...quero so ver o lucro!!!!, coloca estes produtos por estes preços aqui na capital e veras quanto ganham.
 
Aparecido Jose em 24/02/2011 05:46:01
ESTRANHO, MUITO ESTRANHO, será que o RICARDO TEIXEIRA não tem participação acionária nesta empresa? ESTRANHO, MUUUUUUUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIO ESTRANHO.
 
Antonio Mazeica em 24/02/2011 02:00:22
..eu tb quero comer queijo a r$ 1,50 o quilo !!!..
 
Sergio Correa em 23/02/2011 08:27:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions