A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

25/02/2014 11:10

Pesquisa mostra que 36% vão pular Carnaval longe de Campo Grande

Aline dos Santos
Para moradores, Carnaval da cidade é fraco.  (Foto: Cleber Gellio)Para moradores, Carnaval da cidade é fraco. (Foto: Cleber Gellio)

Sair da cidade vai ser a opção de como aproveitar o Carnaval de 35,9% dos campo-grandenses. De acordo com pesquisa, divulgada nesta terça-feira pela Fecomércio (Fundação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul), a maioria, 29, 6%, vai para municípios do Estado. A preferência é por Rio Verde, Bonito e Corumbá. Outros 25,7% vão viajar para fora de Mato Grosso do Sul. O gasto médio dos viajantes será de R$ 230.

Por outro lado, a maioria dos campo-grandenses, 64,1%, vai mesmo é ficar em casa e longe da folia. Segundo o pesquisador da Anhanguera/Uniderp, José Francisco dos Reis Neto, fatores econômicos influem na pouca disposição carnavalesca.

Ele explica que quando o Carnaval é em fevereiro, as pessoas ainda estão no ritmo das férias e dispõe de um pouco do décimo terceiro salário. Em 2014, a festa será em março e grande parte das pessoas recebe no quinto dia útil, portanto, depois da festividade.

Neste cenário, o impacto para a economia é considerado pequeno. De acordo com o levantamento, a movimentação em quatro dias será de R$ 47,6 milhões. “É inexpressivo diante das outras datas festivas. O Dia dos Namorados em Campo Grande bate isso”, afirma o pesquisador.

A pesquisa também aponta que 55,7% dos campo-grandenses não gostam de Carnaval e 80,9% não costumam ir aos bailes em clubes. Os desfiles das escolas da Capital só atraem 6% dos entrevistados. Sobre o que pretende fazer no Carnaval, 17,6% responderam que vão descansar em casa.

As outras atividades preferidas são passear com amigos e ler livros. Outros 5% vão aproveitar o período de festa para orações e retiro espiritual. Este é o primeiro levantamento divulgado pela Fecomércio sobre o Carnaval.

Do ponto de vista dos empreendedores, a economista Regiane Dedé de Oliveira afirma que já há um ponto para ser detalhado nos futuros levantamentos. De acordo com ela, 33,7% escolheram a opção outras quando questionados sobre qual tipo de música gostam de ouvir no Carnaval.

A opção desbancou axé, marchinha, pagode, samba e sertanejo. “A opção ‘outras’ teve um percentual alto. É preciso sondar melhor para ver os gostos”, diz. Desta forma, o estilo musical pode ser oferecido pelo setor de entretenimento.

“É preciso renovar isso daí. Poderia movimentar hospedagem, restaurante, supermercado, bar. Em vez de ficar em casa”, salienta o pesquisador.

A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 14 de fevereiro, com 400 entrevistas. O levantamento foi elaborado por meio de parceria entre Fecomércio, Uniderp/Anhanguera e Fundação Manoel de Barros.

Segurança e descanso – Para o campo-grandense os riscos de ir para a rua e a vontade de descansar são fatores que o distanciam da folia. “A segurança é precária. Aquela avenida Fernando Côrrea, Deus me livre”, afirma o taxista Jailson Borges, de 37 anos.Ele conta que também desistiu da festa em clubes e, neste Carnaval, o destino deve ser Rio Verde.

“Não sou contra, mas não gosto nenhum pouco. Campo Grande não é cidade de Carnaval, é muito fraco”, avalia o taxista Francisco Deon, de 49 anos.

Cuidadora de idosos, Cristiane Ferreira, de 31 anos, diz que só pensa na folga. “Trabalho segunda, quarta e sexta. Vinte e quatro horas. Sinceramente, não quero nem saber de Carnaval”, diz.

Caixa Econômica Federal não usará empréstimo do FGTS em 2018
Apesar da necessidade de cumprir padrões mais elevados de segurança financeira a partir de 2019, a Caixa Econômica Federal não usará o empréstimo de ...
Déficit deverá ficar até R$ 40 bilhões abaixo da meta, diz ministro
O déficit primário – rombo nas contas do governo excluindo os juros da dívida pública – em 2017 deverá ficar de R$ 20 bilhões a R$ 40 bilhões abaixo ...
Prazo para microempreendedor regularizar situação é prorrogado até sexta-feira
Os microempreendedores individuais (MEI) em atraso com o governo ganharam mais três dias para regularizar a situação. O prazo para a quitação das dív...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions