A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

07/02/2011 18:02

Preço da cesta básica sobe 0,77% em janeiro e passa de R$ 240

Jorge Almoas

As famílias campo-grandenses precisaram desembolsar R$ 240,78 para adquirir a Cesta Básica Alimentar no mês de janeiro, que teve alta de 0,77% em relação a dezembro de 2010.

Os dados fazem parte do estudo realizado pela Semac (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Planejamento, Ciência e Tecnologia).

Em dezembro do ano passado, o custo era de R$ 238,93. O excesso de chuvas em janeiro causou prejuízos na lavoura, obrigando produtores a subir o preço dos produtos.

Seis itens tiveram alta no mês de janeiro: tomate 22,50%; alface 11,19%; laranja 7,52%; banana 2,19%; óleo 1,71% e açúcar 1,18%.

Foram registradas quedas nos preços do feijão (19,59%); carne (4,38%); margarina (2,59%); sal (2,50%); macarrão (1,20%); leite (0,55%) e batata (0,53%). A pesquisa constatou estabilidade nos preços do pão e do arroz.

Se por um lado a chuva prejudicou algumas culturas, a pecuária se beneficiou do período de precipitação. As pastagens foram favorecidas pelo bom volume de chuvas, resultando em queda no preço da carne (4,38%).

A queda no preço do feijão é explicada pela boa safra do grão, que ocasionou aumento da oferta.

No acumulado semestral, as maiores altas foram avaliadas para o açúcar, óleo de soja, laranja, bacana, carne e tomate. A batata e o leite tiveram as maiores reduções em seis meses.

Salário – Para adquirir a Cesta Básica Alimentar, as famílias comprometiam R$ 44,59% do salário mínimo, que subiu para R$ 540,00.

Um trabalhador gasta 98 horas e seis minutos de sua jornada mensal de 220 horas para comprar os itens da Cesta Básica Alimentar.

Higiene e limpeza – Quando é pesquisado o custo da Cesta Básica Familiar – que considera itens de alimentação, higiene e limpeza – a Semac chegou ao valor de R$ 1.052,09 em janeiro, um aumento de 1,17%.

Em um ano, a Cesta Básica Familiar registrou alta de 8,40%. A Cesta é composta por 44 produtos.

No grupo Alimentação, as altas foram percebidas com maior destaque no tomate 22,40%; cenoura 17,72%; alface 11,17%; laranja 7,58%; mandioca 4,96%; cebola 4,65%; couve 3,58%; banana 2,17%; manteiga 2,03% e mamão 1,98%.

Em geral, o grupo Higiene Pessoal registrou redução de 2,50%, com colaboração de produtos como lâmina de barbear (7,30%), absorvente (1,59%) e pasta de dente (1,52%).

No grupo Limpeza Doméstica, foi assinalada uma alta de 2,05%, destacando os seguintes produtos: sabão em pó, 4,18%; detergente, 4,17%; desinfetante, 3,09%; e esponja de aço, 2,24%.

Dois produtos registraram queda: cera em pasta, 1,24% e água sanitária, 0,68%. Não foi registrada alteração de preço do sabão em barra.

Índice usado em contratos de aluguel acumula queda de 0,68% em 12 meses
O IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), usado no reajuste de contratos de aluguéis, acumula queda (deflação) de 0,68% em 12 meses, de acordo com ...
Empresas têm até 20 de dezembro para optar pela antecipação do eSocial
Empresas podem optar pela antecipação da implantação do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSoci...
Prazo para regularizar débitos com fisco estadual vence na sexta-feira
Contribuintes que possuem débitos com o fisco estadual têm até sexta-feira (15) para aderirem ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) de Mato Gross...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions