ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Economia

Governo emite alerta depois de pessoas receberem em casa sementes da China

Ministério da Agricultura pede que sementes não sejam usadas e casos relatados às superintendências locais

Por Nyelder Rodrigues | 18/09/2020 18:30
Pacotes misteriosos vindo da China com sementes de procedência incerta (Foto: Reprodução)
Pacotes misteriosos vindo da China com sementes de procedência incerta (Foto: Reprodução)

Produtores rurais vem recebendo pelos Correios pacotes com sementes enviadas da China mesmo sem que tenham solicitadas. Segundo a Aprosoja-MS (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul), agricultores de Dourados e Campo Grande procuraram a instituição para relatar tais situações.

A origem do pacote só é descoberto pois consta na embalagem. Porém, as informações sobre as sementes param por aí, dando início a um mistério. Situações semelhantes aconteceram recentemente nos Estados Unidos e o uso dessas sementes não é recomendado.

Em nota, o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) alerta sobre os riscos do uso de tais sementes. "O desconhecimento da origem pode representar grande risco sanitário", frisa também a Aprosoja-MS, que segue as orientações do ministério.

A orientação é para que, caso não tenha feito compra on-line ou não reconheça o remetente, as pessoas que receberam tais pacotes leve os produtos à SFA (Superintendência Federal de Agricultura, que fica na rua Dom Aquino, 2.696, Centro de Campo Grande, ou entre em contato pelo telefone (67) 3041-9319.

"A importação de vegetais sem autorização pode facilitar a entrada de pragas ou doenças que não existem ou estão erradicadas no país, além de causar prejuízos econômicos", frisa a nota. "Para evitar o risco fitossanitário, o Mapa atua no controle do e-commerce internacional com equipe dedicada a fiscalizar e impedir a entrada de material sem importação autorizada no País", completa.

Fraude de e-commerce - Os casos ocorridos nos Estados Unidos já estão sendo investigados e, por ora, as apurações dos órgãos de defesa sanitário e outros órgãos daquele país indicam que tais envios fazem parte de uma estratégia comercial.

A fraude é conhecida como 'brushing scam', estratégia de e-commerce utilizada por sites de venda online para gerar números falsos de pedidos e também a possibilidade de avaliações positivas, beneficiando assim os vendedor.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário