ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 31º

Economia

Reajustes de 3,7% no diesel e 1,9% na gasolina entram em vigor nesta sexta

Petrobrás fez anúncio nesta quinta-feira e combustível volta a subir após escalada no início do ano

Por Tainá Jara | 15/04/2021 15:32
Abastecer ficou mais caro em 2021 (Foto: Arquivo/Paulo Francis)
Abastecer ficou mais caro em 2021 (Foto: Arquivo/Paulo Francis)

Reajuste de 3,7% no preço do diesel e 1,9% no preço da gasolina entra em vigor a partir desta sexta-feira. O anúncio feito pela Petrobras nesta quinta-feira ocorre após movimento de corte, iniciado em março, após ajustes seguidos verificados no início do ano.

Conforme a estatal, com as mudanças o preço médio do diesel em suas refinarias sobe para R$ 2,76 por litro, R$ 0,10 acima do praticado até está quinta. A alta da gasolina será de R$ 0,05, para R$ 2,64 por litro.

Em nota, divulgada em reportagem da Folha de São Paulo, a empresa reforça que "o alinhamento dos preços ao mercado internacional é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis".

O reajuste vai impactar no preço do combustível em Mato Grosso do Sul. No último dia 10 de abril, pesquisa da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, realizada a cada sete dias, apontou que a gasolina estava batendo, em média, a R$ 5,58 e o etanol a R$ 4,13, no Estado.

O valor mínimo do litro da gasolina vendido em 30 estabelecimentos do Estado foi de R$ 5,47 e o máximo de R$ 5,99. Na Capital, a média ficou em R$ 5,56, variando de R$ 5,47 a R$ 5,74.

A pesquisa também levantou média do óleo diesel em 24 estabelecimentos. O preço ficou em R$ 4,20, variando de R$ 3,99 a R$ 4,64. Na Capital, o valor médio do litro chegou a R$ 4,17.

Corte - Antes do reajuste anunciado nesta quinta, a Petrobras havia feito dois cortes no preço do diesel, acompanhando a queda das cotações internacionais do petróleo. O preço da gasolina havia caído uma vez.

No começo do ano, os preços chegaram a ter cinco reajustes consecutivos. A alta dos combustíveis foi fator determinante para que a inflação oficial tenha atingido março o maior patamar desde 2015, 0,93%. Em 12 meses, a inflação chegou a 6,10%, valor superior ao teto da meta para 2021, de 5,25%.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário