A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/02/2014 10:51

Redes planejam 6 novos mercados e acirram disputa por clientes

Lidiane Kober
Parati será o segundo bairro a ganhar um supermercado da Rede Comper (Foto: Cleber Gellio)Parati será o segundo bairro a ganhar um supermercado da Rede Comper (Foto: Cleber Gellio)

Ainda neste ano, grandes redes nacionais devem abrir pelos menos seis novos supermercados em Campo Grande. A novidade acirra a disputa por clientes e deixa em alerta alguns empresários locais, que se esforçam para competir com os “grandes” e até cogitam “carregar no colo” os fregueses para não perdê-los.

Vice-presidente da Amas (Associação Sul-matogrossense de Supermercados) e proprietário do Supermercado Gaúcho, Luiz Tadeu Gaedick contou que somente o Grupo Pão de Açúcar (GPA) planeja abrir quatro novos empreendimentos na Capital. As lojas, inclusive, já teriam endereço certo.

Uma delas será construída na Avenida Bandeirantes, onde funcionava a antiga Chacha Veículos. Também há a expectativa de o grupo abrir um novo supermercado no Bairro São Francisco, próximo à igreja. Um Assaí estaria em construção na saída para Aquidauana.

O primeiro Supermercado do grupo com a bandeira do Pão de Açúcar pode ser construído na região perto do Parque do Sóter.

Por meio da assessoria de imprensa, o Grupo Pão de Açúcar não confirmou os investimentos, seguindo estratégia de manter em sigilo os próximos passos da rede. “O GPA acredita e acompanha o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul e se mantém atendo às oportunidades de cada mercado”, informaram. “Sobre novas lojas, quando possível, a Companhia divulgará informações”, emendaram, via nota.

Hoje, a rede está presente no Estado com duas lojas de Assaí Atacadista em Campo Grande, dois Extra Hiper na Capital e um em Dourados, além de 15 Casas Bahia. Ainda sobre o grupo, Gaedick comentou a política nacional de abrir um Assaí onde tiver um Atacadão. “Imagino que é para ficar próximo do concorrente”, analisou.

O vice-presidente da Amas contou ainda o plano de a Rede Comper inaugurar nova loja na Rua da Divisão, no Bairro Parati. Procurado pelo Campo Grande News, o grupo não respondeu e-mail sobre os projetos futuros.
Já a Rede Econômica estaria prestes a abrir novo supermercado na saída para São Paulo, na Avenida Guaicurus.

“Esses grupos tradicionais fazem pesquisa de mercado antes de investir. Com certeza, enxergam potencial em Campo Grande”, avaliou Gaedick.

Disputa acirrada – Vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados e proprietário de três unidades do Pag Poko, Adeilton Feliciano do Prado vê com preocupação a expansão das grandes redes na Capital sul-mato-grossense.

“O mercado está saturado na cidade. Só para você ter uma ideia, Campo Grande tem o maior número de atacadistas por habitante do Brasil”, revelou. “Aqui o jogo por cliente é bruto”, acrescentou.

Diante da disputa acirrada, Prado disse que vale tudo na corrida por fregueses. “Tem que ter muita promoção boa, tratar bem o cliente e se for preciso até carregamos eles no colo”, disse. Neste sentido, ele avalia que só o empresário “bem preparado sobrevive”.

Sem querer se identificar, outro dono de supermercado da Capital engrossou o discurso. Ele afirmou que, se novo empreendimento abrir as portas, “vai para a roça”. “Os grandes estão engolindo os pequenos”, declarou. “A gente sobrevive pela nossa história e na base da amizade construída ao longo de 30 anos no ramo”, acrescentou.

O empresário aproveitou ainda para se queixar da carga tributária e relatou favorecimento aos “grandes”. “Para trazer novos investimentos, os governos isentam impostos às grandes redes e para a gente só vem chumbo”, lamentou.



O sol nasceu para todos. Quanto mais concorrência, melhor para nós consumidores.
 
Marta Santos em 12/02/2014 13:13:48
O melhor supermercado da região campo grandense é o Supermercado Pires, que vem crescendo cada vez mais. Melhor preço, qualidade e um super atendimento, sem dúvida é referência em Campo Grande. Já fui em muitos supermercados e até agora a Rede Pires foi a que mais me surpreendeu, e essa é uma opinião minha e de muitas outras pessoas com quem eu já conversei sobre.
 
Maethany Oliveira em 11/02/2014 20:17:37
Mais supermercados , mais farmácias ,mais lojas de venda de colchões e camas , que bommm , é o progresso.................KKKKKKKKKKKKKK
 
Paulo Roberto em 11/02/2014 17:41:37
Quero dizer aos pequenos "mercados" não se preocuparem, sou 1 freguesa assídua. Nos grandes mercados pra encontram estacionamento é mt complicado, as filas pro caixa são terríveis, então to sempre nos mercadinhos, fora o atendimento personalizado, cria-se um grde amizade. Prefiro os mercados pequenos, as promoções dos grades não me atraem, tempo pra mim vale ouro, quero ser atendida rápida. Só lembrando que Campo Grande é a capital dos obesos, e vamos comer mais ainda kkkkkk
 
Melissa Palmeiras em 11/02/2014 17:04:27
E na saída para três lagoas, não tem nenhuma rede de supermercados, o bairro maria aparecida pedrossian so tem uma rede econômica que mete a faca nos clientes, e ainda por cima cobra preço diferente das outras lojas da rede, abram uma rede destas que serei o primeiro a trocar de mercado, e garanto que 99% da população daquela região também!
 
Robson Sabino em 11/02/2014 16:02:13
A concorrência é salutar, principalmente quando os prata da casa não investem no bom atendimento dos clientes, um tal Hiper da Tiradentes, no tocante ao açougue é sempre referencia de mal atendimento aos fregueses, deixam formar longas filas e ficam empacotando carne la dentro e o povo olhando e esperando na fila...Só depois que alguem arma barraco é que se habilitam a atender a fila...Da licença...
Portanto, quem não tem competência não se estabelece...
 
Marco Antonio em 11/02/2014 15:47:47
porque sera que esses empresarios de mercados não construa nenhum mercado na região da COOPHAVILA II, sera porque estamos cercados de: presidio federal, lixão, tratamento de esgoto, presidio agricola, curtumes e ai por diante.
 
eraldo afonso bento em 11/02/2014 15:44:31
Esses são os investimentos que a cidade precisa?? mercados desse porte pagam salário baixo, sem qualificação...a cidade precisa gerar mais empregos, com qualificação melhores,
que paguem melhor.
mas para a cidade com maior percentual de gordos... mais mercados.... menos saude, menos lazer....
 
Caio Prado em 11/02/2014 15:30:13
Enquanto nós do Bairro Oliveira, I,II,III, Flores, Girassois, União. Não temos nenhum supermercado para fazer compras.
 
ELOIR FERREIRA DE ABREU em 11/02/2014 14:21:25
TEM QUE ABRIR UM GRANDE MERCADO NA REGIÃO DA SAIDA PARA SÃO PAULO.......NINGUEM MERECE "REDE PIRES"!!!
 
igor gomes lima em 11/02/2014 14:00:35
Não sou contra o progresso, nem contra o desenvolvimento, mas acho que nossa Capital já tem supermercado e shoppings demais.
A Prefeitura precisa barrar a abertura de novas unidades.
Já estamos percebendo que isto é uma grande disputa das redes especialistas no ramo.
Não temos consumidores para um número tão grande de supermercados e de shoppings que chegam à Capital..
Temos que preservar comerciantes tradicionais da nossa Capital, que serviram o povo, e deram sua contribuição ao municipio, e estão sujeitos de fecharem suas portas, porque não tem capital, e nem condições de concorrer com quem chega de fora.
Na realidade com tal concorrência, até alguns grandes estão sujeitos à fecharem suas portas, e isto pode se tornar num grande elefante branco para o município.
 
VALDIR VILLA NOVA em 11/02/2014 13:56:43
E na saída de São Paulo? Não vem mercados como Comper, Extra, Açaí, Wall Mart???? Aqui só tem os pequenos mercados que enfiam a faca no cliente e oferecem um péssimo serviço e atendimento.
 
Renata Silva em 11/02/2014 13:44:50
Olhem só senhores empresários, a Saída de Sidrolândia não tem nada, não tem shopping, não tem hipermercados nem grandes lojas, passou da hora dos senhores colocarem lojas por lá, pois somos um grande número de moradores e carecemos muito de não mais atravessar a cidade em busca de bons preços... alerta aí galera, também consumimos ok?
 
Ana Lúcia em 11/02/2014 13:28:51
Que noticia excelente, isso pode até prejudicar os pequenos empresários, mas ao mesmo tempo faz com que as grandes redes baixem seus preços, o Comper que dominava Campo Grande, pratica preços que nem nas grandes metropoles são tão altos, quanto mais concorrencia melhor para o consumidor, chega de gastar fortunas em supermercado sem ao menos encher o carrinho, sejam bem vindos novos supermercados.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 11/02/2014 13:02:29
Só os puxa-sacos do petismo sobrevivem. Não estou gostando disso, fica sobrando mercados e a cidade só fica com cara de supermercados. A arquitetura de Campo Grande só vai ser supermercados que vendem as mesmas coisas que os outros. Cansa isso.
 
Cristiano Arruda em 11/02/2014 12:59:56
Como consumidor, discordo do sr. Adeilton. Observo que mesmo com a chegada de grandes redes de varejo e "atacarejo" os preços entre as bandeiras do último citado, são muito próximos. Moro próximo a três atacarejos, atualmente compro no que tem melhor estrutura, estacionamento coberto e mais caixas para atendimento.

Não vejo nenhuma briga em melhores preços. Praticamente iguais!!!
 
Fabiano Silva em 11/02/2014 12:23:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions