A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

27/09/2016 18:05

Sem acordo, negociação de bancários e patrões será retomada quarta-feira

Nyelder Rodrigues
Como bancários e patrões não chegaram a acordo nesta tarde, greve prossegue pelo menos mais um dia (Foto: Divulgação)Como bancários e patrões não chegaram a acordo nesta tarde, greve prossegue pelo menos mais um dia (Foto: Divulgação)

A 9ª rodada de negociações entre bancários e Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), realizada na tarde desta terça-feira (27) em São Paulo (SP), encerrou o dia sem acordo e será retomada amanha (28), a partir das 14h (horário de MS). Com isso, a greve dos trabalhadores continuará, completando 23 dias nesta quarta.

Durante o encontro de hoje, os bancos levaram à mesa uma proposta diferente da anterior, com modelo que deverá ser válido para este e para o ano que vem. A intenção é que sejam contemplados pedidos dos bancários, como combate a metas abusivas, demissões em massa, auxílio educação, entre outros benefícios.

Os sindicatos que formam o Comando Nacional dos Bancários cobram reajuste salarial de 14,78%, sendo que 9,78% seriam de reposição da inflação acumulada em 12 meses, e os 5% restantes seriam de ganho real de salário. Além disso, também é pedido participação nos lucros e resultados das empresas.

Antes de retomar a negociação à tarde com o Comando Nacional dos Bancários, a Fenaban deve se reunir pela manhã com os bancos para discutir qual proposta atenderia melhor os interesses de ambas as partes e colocaria, definitivamente, fim a greve que vem causando transtornos à população em todo o país.

"Nossa orientação é que a greve continue forte em todo o país. Somente com a nossa mobilização vamos conquistar um acordo que atenda às demandas da categoria", ressalta Roberto von der Osten, presidente da Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) e um dos coordenadores do Comando Nacional dos Bancários.

Em Campo Grande e região, segundo o Seeb-CG (Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região), 151 unidades bancárias ficaram fechadas e sem atendimento físico nesta terça-feira – 94,4% das 160 agências existentes na região, que engloba a Capital e outras 28 cidades. O autoatendimento em caixas eletrônicos seguem ativos.



Essa greve ja virou uma palhaçada um monte de gente precisando receber na boca do caixa e não consegue. Aposentados que não fizeram prova de vida sem dinheiro e um monte de gente levou golpe no tal do pague fácil, porque toda categoria tem que manter 30% do serviço considerado essencial e os bancarios não?? alguma coisa ta muito errada nesse nosso BRASIL
 
jose roberto da silva em 27/09/2016 20:35:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions