A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

14/01/2011 17:50

Simone diz que Justiça irá decidir sobre exclusividade a bancos

Fabiano Arruda e Paulo Fernandes

Governadora em exercício considera o Banco do Brasil como grande parceiro do governo do Estado

A governadora em exercício, Simone Tebet (PMDB), disse agora há pouco, na sede da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), que a questão sobre a exclusividade a bancos em empréstimos consignados deve ser decidida pela Justiça. “Uma coisa é o Banco Central determinar, agora, tem de se discutir se é constitucional”, sugeriu.

Simone considera o Banco do Brasil como um grande parceiro do governo de Mato Grosso do Sul e das prefeituras. Ela afirmou que em determinados momentos o BB “salvou o Estado” com empréstimos concedidos sem taxa de juros.

Tebet também comentou sobre uma prática das prefeituras do interior do Estado que, eventualmente, vendem a folha de pagamento para bancos, no intuito de gerar orçamento.

“Não falo como governadora, mas sim como ex-prefeita e por experiência própria. Em Três Lagoas, asfalto foi feito com dinheiro de venda da folha de pagamento”, relatou.

A governadora em exercício, no entanto, disse que se a decisão for considerada constitucional, será acatada pelo governo.

Entenda - O Banco Central divulgou hoje determinação que proíbe a exclusividade de bancos na realização de empréstimos consignados. Em Mato Grosso do Sul, há quase um ano, o Banco do Brasil atua em melhores condições nessas operações, por determinação do governo do Estado. Em prazo, o BB oferece 72 meses no consignado, enquanto os concorrentes trabalham com, no máximo, 48 parcelas.

Mas no Estado e em todo País a medida do BC não deve alterar o cenário significativamente, por ora, já que os contratos antigos continuam valendo até o vencimento dos acordos.

Desde que o governo Estadual estabeleceu a exclusividade ao Banco do Brasil há uma briga judicial, cujo último capítulo foi uma decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que mantém o BB como entidade exclusiva para fazer os consignados aos servidores estaduais. As outras até podem fazer, mas com prazos menores, o que praticamente tira toda a cliente.a

Procon da Capital abre campanha para orientar comércio e consumidor no Natal
O Procon (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) de Campo Grande dá início nesta segunda-feira (18) a uma semana de orientação e atendimen...
Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...


É uma pena Sra. Simone Tebet ... Tinha esperanças em sua política de governo, na liberdade de expressão e escolhas dos menos favorecidos, mas declarações como essas nos fazem desacreditar cada vez mais nos nossos governantes.
 
Rosi Pinheiro em 17/08/2012 12:51:00
Para começar, nós (pessoas de bem), não podemos vender algo que não nos pertence(folha de pagamento), porém não foi o que a Srª Tebet citou acima, pois a mesma confirma que quando prefeita em Três Lagoas, vendeu a folha de pagamento para BB. e completa dizendo, se for constitucional, será acatada pelo governo. Só agora ela foi procurar saber se é constitucional,sendo que em Três Lagoas já havia feito.
Quem deve "SALVAR O ESTADO ", Não é o BB, e sim o candidato que foi eleito para isto, e diga-se de passagem, com vários votos " forçados" imposto pelo governador p/com seus "colaboradores".
 
Marizete Trindade em 09/02/2011 11:20:13
Sr.Simone Tebet acho que não é só a justiça para resolver o consignado do BB,poís a senhora e o governador tambem pode resolver e acho que um governador tem que pensar o bem das pessoas pensar em crescer o estado e não afunda-lo igual estão fazendo ve se coloca a mão no coração e ve quantas pessoas precisam desses empregos quantas familias precisam se alimentar e trabalhar,mas as pessoas
que tenham muito dinheiro suponho a senhora não quer saber das outras são egoistas isso é muito feio sabia que é pecado querer o mal das outras pessoas para o bem de si mesma??Acho que a senhora ao governador não tinha que querer mais pessoas nas filas em frente ao ministério do trabalho querendo o seguro desemprego então coloque a mão no coração se é que tem né?e veja o que estão fazendoooo........
 
Paula Evellyn em 21/01/2011 12:08:55
a sra.cristina ribeiro seu esposo deve ser cabide do governo por isso não tem o nome no serasa deve ganhar bem e nem ir ao trabalho,pois aqueles servidores que mais trabalham é que ganham uma miseria e por isso precisam de credito ao contrario de vcs que se acham superiores porq não tem o nome no serasa ...mais vou falar o que relamente é uma vergonha são pessoas como vcs que vão morrer e não vão cheirar mal....
 
cleide salentim em 17/01/2011 04:42:53
Olá cg news! na minha opnião essa exclusividade ao banco do brasil é uma vergonha, uma falta de respeito aos servidores publicos do estado que esta perdendo seu direito de ir e vir, esta perdendo o seu direito de escolha de pesquisa. as taxas do bb são dos mais altos para consignados e com essa exclusividade futuramente as taxas do bb ficará mais altas. peso a justiça não deixa por que nós servidores queremos mais opção mais concorrencia.
sou servidor prefiro fazer emprestimo consignado no santander, a taxa lá é 1,45% eu fiz lá, por que no bb está 2,16% a.m .
 
Higor Henique em 15/01/2011 12:35:06
Essa senhora vice ,deveria por obrigação saber que inconstitucional é privar os funcionários públicos ou prtvados de exercerem seus direitos de fazer com o seu salário o que bem entender.É nosso,portanto,fazemos o que quisermos.Chega de ditadura ou vamos deixar o sr Absoluto no comando de nossas coisas?
 
adriana beraldo rocha em 15/01/2011 12:05:51
Meu marido é funcionario do estado e sempre foi muito bem atendido no banco do brasil.
A maior parte desses comentários provavelmente partiu de pessoas que não conseguem fazer empréstimos porque tem nome no serasa, SPC, ou seja, não tem moral pra criticar ninguém, uma vez que não passam de maus pagadores.
Tem um aí que ainda confessa que está no serasa, além de escrever "sifrões".
É o nível dos nossos funcionários públicos, rsss
 
cristina ribeiro em 15/01/2011 11:00:10
Ela falou certo: o banco é um grande parceiro do governo e das prefeituras e NÃO dos funcionários! Que nojo dessa cambada!
 
caciano lima em 15/01/2011 09:59:38
Nossa! Estou embasbacada com o que disse a Doutoranda Simone Tebet. A quase doutora de fato em direito, não saber que privar os servidores públicos (clientes) de escolher o banco e a operação financeira de sua preferência, ou melhor, com taxas menores provocadas pela livre concorrência entre os banqueiros é uma inconstitucionalidade.
Vamos por partes, quase todos os cidadãos comuns, sabem que o código de defesa do consumidor, o qual foi previsto pela CF de 1988 para regulamentar nossas relações de consumo nos garante este direito.
Logo, a governadora claramente tenta manobrar a coletividade com argumentos descaradamente inconsistentes quando cogita a possibilidade de obrigar mais 60.000 clientes a ficarem reféns de um único banco como legal ou constitucional.
O ministério Público deveria apurar os porquês de tanto interesse despretencioso...
 
Osmar Torres em 15/01/2011 09:50:24
governo forte, e feito de governantes sabios, que estão do lado da população, este em questão não se preocupa com o servidor publico, nos temos o direito de opitar o banco que faremos emprestimos, não com negociatas de banco com governo.
 
marcos souza lima em 15/01/2011 08:41:51
FAÇA UMA PESQUISA COM FUNCIONARIOS PUBLICOS E PROCUREM SABER SE ELES ESTAO SATISFEITOS , NIMGUEM TEM O DIREITO DE TRABALHAR COM SALARIOS DE NIMGUEM .CADE A OPÇAO DE ESCOLHA .GOVERNOS OPORTUNISTAS BATALHEM PELOS SEUS RECURSOS DE OUTRA FORMA
 
marinalva rodrigues pereira da silveira em 15/01/2011 04:47:12
sou funcionario publico e acho um absurdo nao poder fazer um emprestimo hoje , meu nome ta no serasa, e o bb nao aceita fazer ,se nao tivesse essa exclusividade eu poderia fazer em outro banco, essa parceria deve ter sido muito boa pro governador sao muitos sifroes e jogo de interesse em nenhum momento pensaram no funcionario que a maioria nao consegue fazer o emprestimo no bb, o atendimento é horrivel sendo que os outros bancos vai ate na residencia , comercio, tambem ta sofrendo uma queda nas vendas pois é menos dinheiro ciculando na praça.
 
vilmar de souza ribas em 15/01/2011 01:12:26
Em 1º lugar, obrigada a este jornal pela oportunidade e liberdade de nos expressarmos. Tenho uma dúvida, se o Governo de MS conseguir manter a venda da folha, como ficam a minoria de pessoas como eu, que sou servidora e tive problemas judiciais com o B.B. e que ñ tem o direito de renegociar contratos e nem fazer empréstimos consignados com eles? e nem com os outros, pois, ñ podem fazer contratos com mais de 48 parcelas. Quem irá nos socorrer, já que nem um juiz dando ganho de causa a nós eles respeitam, com essa política gananciosa e injusta! Quem lutará por nós, se somos uma minoria?
 
Gloria M. Silva em 14/01/2011 10:34:26
Na verdade um comentario vido da Dra. Simone, uma jurista de primeirissima linha com grande saber do Direito principalmente o administrativo, querer concordar com o dr. André deixando BB com a exclusividade aos empréstimo ao funcionalismo publico estadual.
O Banco do Brasil pode até ser parfceiro, companheiro e etc.. do MS, porem isso não serve de salvo conduto para que descumpra a CF, as leis vigentes, os principios de livre escolha para os funcionarios, isonomia entre as instituições etc... Não da para acreditar nessa manifestação vindo da Dra. Simone Tebet....
 
Carlos Lima em 14/01/2011 10:24:44
infelizmente temos governantes que não conhece mesmo o q é inconstitucional,ora o que estavamos vivendo aqui no estado sim era por sua vez um decreto sem parametros de lei mais um contrato onde fere a democracia de um povo que não mais podiam escolher onde e com qual financeira podia fazer seu emprestimo,agora o banco central se mostra democratico sim !!!!!!!!!! as pessoas tem o direito de escolher a menor taxa de juros não por vontade de um governador.
 
cleide salentim em 14/01/2011 09:00:43
Hoje estamos num país democratico senhores governantes, temos que acabar com o monopolio,assim a concorrencia seria bem melhor , melhor taxas, temos o direito de escolher onde fazemos nossos emprestimos , afinal , que vai pagar somos nos e nao o governo, afinal com essa miseria que recebemos , temos que partir para o emprestimo mesmo , agora aqueles que estaõ no cargo de confiança digo cabide de emprego,esses as vezes nao precisa recorrer ao emprestimo.. abraço .
 
João vieira silva em 14/01/2011 08:59:02
por mais que o BB salva o estado temos que ter livre arbitrio para decidir o que e melhor para cada um nao temos que ficar aprisionados por quem ou instituicao que nao paga nossas dividas
 
angela carolina caldeira da rocha moreira funcionaria estadual em 14/01/2011 08:48:03
Dona Simone me admira muito uma pessoa com seu nível de escolaridade (creio que advogada) ou sei lá o quê,não saber que é inconstitucional o modo de operar o nosso dinheiro ou seja de vender_nos aos bancos.O salário é nosso portanto nós é que temos que esclher onde receber e aplicar e não governador ou prefeito.Quem nos paga é o povo mas pelo serviço que prestamos os governantes apenas pagam.E alerta aos funcionários públicos seja ,estaduais ou municipais vamos brigar por essa causa.
 
marta aparecida sobrinho em 14/01/2011 07:43:03
Espanta ler as declarações da Sra. Simone Tebet. “...Uma coisa é o Banco Central determinar, agora, tem de se discutir se é constitucional” Oras, alguém por favor empreste a essa senhora um exemplar da Constituição Federal, talvez ela consiga entender que Inconstitucional é limitar o Servidor Estadual , tirando do mesmo seu direito de livre escolha. Quanto à parceria do BB, observa-se o quão parceiro ele é, o BANCO DA NOSSA GENTE, cobra caro depois. Vamos lutar até o último segundo para reverter essa situação absurda. Espero que isso sirva para alertar aos eleitores de MS, que é nas urnas que devemos enterrar esses políticos de ocasião e aos Servidores Estaduais, que juntem-se ao Movimento do Crédito consignado, afim de não submeter-se ao "cabresto" imposto pelo Nosso brilhante Governador e seus seguidores.
 
Janaina Bernardo em 14/01/2011 07:20:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions