A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2018

19/01/2018 17:15

Sobram buracos e falta sinalização em rodovia de escoamento agrícola

Trecho da MS-162, entre Maracaju e Sidrolândia, tem muitas precariedades

Osvaldo Júnior
Trecho da rodovia MS-162 apresenta diversos problemas (Foto: Saul Schramm)Trecho da rodovia MS-162 apresenta diversos problemas (Foto: Saul Schramm)

Trafegar em trecho da rodovia MS-162, entre Maracaju e Sidrolândia, dois dos maiores produtores de Mato Grosso do Sul, não é tarefa fácil. São pelo menos dez quilômetros com buracos, falta de acostamento e de sinalização horizontal, condições que comprometem o fluxo de veículos, ainda mais em período de escoamento de safra. O local recebe reparos pontuais, mas não há previsão para recapeamento.

“Já passei por dentro de buraco para não bater”, conta o motorista Eduardo Silva Oliveira, 40 anos, que transporta produtos para uma empresa, instalada em frente à rodovia. “Isso causa muitos danos materiais”, queixa-se, acrescentando que já furou pneus algumas vezes na rodovia por causa de buracos. “Tá horrível essa estrada!”, avalia.

Observações semelhantes faz o agricultor de Sidrolândia, Benedito Campos, 69, que transporta frutas, verduras e legumes para os municípios da região em uma caminhonete D-10, do ano de 1982. Com o velho veículo, Benedito encara as irregularidades da MS-162. “A rodovia tá feia. Eles arrumam de vez em quando, mas os buracos voltam”, nota.

Eduardo já teve pneus furados por causa de buracos na rodovia (Foto: Saul Schramm)Eduardo já teve pneus furados por causa de buracos na rodovia (Foto: Saul Schramm)
Benedito trafega constantemente pela via com uma velha D-10 (Foto: Saul Schramm)Benedito trafega constantemente pela via com uma velha D-10 (Foto: Saul Schramm)

Caminhões – Isso tudo compromete o movimento de veículos, entre os quais estão caminhões, com número maior em época de escoamento de grãos. Em fevereiro, tem início a colheita de soja, com previsão de volume recorde de 8,8 milhões de toneladas, de acordo com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). E, neste mês, o fluxo de caminhões já está mais intenso, devido ao transporte de milho, vendido tardiamente.

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) foi procurada pela reportagem e informou que não há previsão de recapeamento. A via recebe apenas manutenção da regional da Agesul de Maracaju.

Pela rodovia trafegam muitos caminhões (Foto: Saul Schramm)Pela rodovia trafegam muitos caminhões (Foto: Saul Schramm)

Pesos na agropecuária – O trecho com irregularidades divide dois municípios, que se destacam nos números da agropecuária de Mato Grosso do Sul. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Maracaju tem PIB (Produto Interno Bruto) agropecuário de R$ 662,126 milhões (dados de 2015, o mais recente do IBGE). Esse é o maior valor do Estado.

Sidrolândia também apresenta dados consideráveis. No ranking da riqueza agropecuária sul-mato-grossense, Sidrolândia aparece em oitavo lugar. Em 2015, o PIB agropecuário desse município foi de R$ 456,31 milhões.

Os valores proporcionados pelos campos de Maracaju e de Sidrolândia correspondem, respectivamente, a 36,32% e a 37,7% de toda riqueza gerada por esses municípios.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions